.

.

31 outubro 2008



Nao goste do amor,

Goste de alguem que te ame, alguem que te espere, alguem que te compreenda mesmo nos momentos de loucura; de alguem que te ajude, que te guíe, que seja seu apoio, tua esperança, teu tudo.

Goste de alguem que nao te traia, que seja fiel, que sonhe contigo, que so pense em voce, que so pense no teu rosto, na tua delicadeza, no teu espírito e nao no teu corpo nem n os teus bens..

Goste de alguem que te espere ate o final, de alguem que seja o que voce escolher.

Goste de alguem que sofra junto contigo, que ría junto a ti, que limpe tuas lágrimas, que te abrigue quando necessario, que fique feliz com tuas alegrías e que te de forças depois de um fracaso.

Goste de alguem que volte para conversar com voce depois das brigas, despois do desencontro, de alguem que caminhe junto a ti, que seja companheiro, que respeite tuas fantasías, tuas ilusoes. Goste de alguem que te ame. Nao goste apenas do AMOR, goste de alguem que sinta o mesmo sentimento por voce, que goste realmente de voce...

28 outubro 2008


Vontade de me confundir com as dunas e
sentir a àgua nos pés que me refrescam,
olhar o céu e misturar-me com o azul,
arrefecer dos dias quentes,
e descansar no azul que me veste por dentro,
sentir o sal,
correr e marcar pégadas onde nem o mar as leve,
voar ...voar ...
deitada na areia e construir um castelo de emoções,
que me arrebatam para outras viagens,
para outros sítios,
locais,
mais frios ou mais quentes,
que me levem ao imaginário das bolas de neve
quando tocadas pelas mãos,
essas que são as minhas nas tuas,
essas são as minhas dunas onde me deito.

http://farolnoventodonorte.blogspot.com/

27 outubro 2008

Quero mais


Visto estrelas cadentes
Calço ventos e marés
Bebo luas e sóis
Degusto riscos e traços
Penso linhas e pautas
Pinto sustenidos e bemóis
Falo olhares e abraços
Canto aquarelas e pincéis
Escrevo jardins e areais
Dormito livros e papéis
Sonho silêncios e risos
E quero ainda mais

http://perlustrar.blogspot.com/2008_07_01_archive.html

26 outubro 2008


A chuva de nosso amor é temporal,
Tempestade batendo forte,
Atrapalhando a respiração, dificultando a visão.
Vem de dentro o riso fácil.
Forças da Natureza mostrando as garras,
Em vez do medo, felicidade de não
ter sentido antes nada igual:
O inédito, o inesperado, por vezes reclamado,
Como a sensação da “chuva de nós dois”.
Correndo como dois jovens sob a tormenta da vida,
Brincando com o tempo e o tempo da idade.
Intensidade da relação,
acreditando no amanhã que virá virgem.
Percorrendo o paraíso e o abismo quase ao mesmo tempo.
O sonho deixando o brilho
estampado nas rugas do olhar,
Arriscando tudo como uma miragem,
a miragem de nós dois, apaixonados.

http://br.geocities.com/atelienb/2apaixonados.htm

25 outubro 2008


De repente
Tudo pinta
Uma loucura natural
Um tipo de sonho
que não acaba
Um tipo de frio
que não pede agasalho
De repente
o corpo balança
as mãos tremem
e o coração acelera
de repente e
nem tão de repente
solto sem querer
palavras que soam
como badaladas
de um sino
de repente
te amo
e de repente
sou teu.

Arthur

16 outubro 2008



Entre sem bater...
A chave está na porta!
Entre...
Invada este coração,
penetre seus labirintos,
desvende os seus segredos,
e amenize seus medos.
Entre...
Ocupe os espaços vazios,
e abra todas as janelas
para a felicidade.
Mas se não puder ficar...
Saia de mansinho,
sem machucar,
e deixe a chave no lugar!

Angel

04 outubro 2008

Cumplicidade


Os teus olhos são uma tentação
para quem tem a nobre ousadia
de, neles espelhando o coração,
se deleitar com a divina alquimia

Neles se encerra a doce química
que ao desesperado dá alento,
quando, já sem a força anímica,
chegado julga o último momento

Quando te olho tenho a sensação
de te conhecer há uma eternidade
e de ter sobrevivido a uma paixão

que em mim jaz e ecoa na saudade
onde o amor renasce e colhe a solidão
que no teu olhar se faz cumplicidade...


Lud MacMartinson

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.