.

.

14 setembro 2015

Abençoada seja a leveza...


Abençoadas sejam as surpresas risonhas do caminho.
As belezas que se mostram sem fazer suspense. 
As afeições compartilhadas sem esforço. 
As vezes em que a vida nos tira pra dançar
sem nos dar tempo de recusar o convite. 
As maravilhas todas da natureza, sempre surpreendentes, 
à espera da nossa entrega apreciativa. 
A compreensão que floresce, clara e mansa, 
quando os olhos que veem são da bondade. 
Abençoados sejam os presentes fáceis de serem abertos. 
Os encantos que desnudam o erotismo da alma.
Os momentos felizes que passam longe das catracas da expectativa.
Os improvisos bons que desmancham o 
penteado arrumadinho dos roteiros da gente.
Os diálogos que acontecem no idioma pátrio do coração. 
Abençoada seja a leveza...

Ana Jácomo.






Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.