.

.

27 dezembro 2016

Um dia...


"Talvez um dia todos nós amigos iremos nos separar, sentiremos saudade de todas as conversas jogadas fora, dos sonhos que tivemos! Os dias vão passar, meses, anos, até esse contato se tornar cada vez mais raro... 
Um dia nossos filhos verão aquelas fotos e perguntarão quem são essas pessoas.
Saudade vai bater e com os olhos cheios de lágrimas diremos: 
Foi com eles que vivemos os melhores momentos de nossa vida..."


10 dezembro 2016

Natal, Ano Novo....tudo outra vez!



O Ano está Velho. 
Viu muito, muito amou, muito aprendeu, esqueceu o que havia de ser esquecido, sofreu e chorou. 
E riu, riu de puro contentamento. 
E riu pelas ruas e pelas praças das canções e dos amigos. 
E abraçou os poetas e os sonhadores e os puros e os que foram chegando às suas casas de todos os lugares. 
E deu palavras muitas e vozes cantantes e histórias que inventou porque as viveu. 
Gritou também quando foi urgente gritar que sempre a indignidade rejeitou e escorraçou da sua porta e das portas dos deserdados. 
O Ano é velho e não é santo. 
Também soube zurzir e desprezar e apagar se foi preciso. 
Aos ingratos, aos tolos, aos medíocres, aos falsos, disse 
Não, definitivamente. 
O Ano é Velho e gosta do seu nome. 
Será novo outra vez. 
A caminho de ser velho, de mais saber, de mais fazer, de mais amar. 
Na roda da vida, eu sou o novo e o velho de todos os meus anos.

Licínia Quitério.
Imagem n.1 de Celso Dias em Cascavel-PR.

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.