.

.

10 dezembro 2016

Natal, Ano Novo....tudo outra vez!



O Ano está Velho. 
Viu muito, muito amou, muito aprendeu, esqueceu o que havia de ser esquecido, sofreu e chorou. 
E riu, riu de puro contentamento. 
E riu pelas ruas e pelas praças das canções e dos amigos. 
E abraçou os poetas e os sonhadores e os puros e os que foram chegando às suas casas de todos os lugares. 
E deu palavras muitas e vozes cantantes e histórias que inventou porque as viveu. 
Gritou também quando foi urgente gritar que sempre a indignidade rejeitou e escorraçou da sua porta e das portas dos deserdados. 
O Ano é velho e não é santo. 
Também soube zurzir e desprezar e apagar se foi preciso. 
Aos ingratos, aos tolos, aos medíocres, aos falsos, disse 
Não, definitivamente. 
O Ano é Velho e gosta do seu nome. 
Será novo outra vez. 
A caminho de ser velho, de mais saber, de mais fazer, de mais amar. 
Na roda da vida, eu sou o novo e o velho de todos os meus anos.

Licínia Quitério.
Imagem n.1 de Celso Dias em Cascavel-PR.

4 comentários:

Cidália Ferreira disse...

Maravilhoso! Passou rápido

Boas festas.

Beijinhos e bom Domingo.

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Roque Soto disse...

Apreciada amiga, me doy una vuelta por su isla para felicitarle con anticipación las fiestas navideñas que se acercan. Espero que todas sus aspiraciones de salud, alegría y amor se cumplan con creces, también para sus seres queridos.

Un fuerte abrazo

Roselia Bezerra disse...

Boa Noite, querida Sonia!
Novo ano e novas realizações!
Seja muito feliz e abençoada!
Bjm muito fraterno e Felizes Festas!

Profª Lourdes disse...

Olá, boa tarde!
Gostei muito do seu blog e já estou seguindo. Com certeza voltarei mais vezes pois suas postagens são maravilhosas.
Convido você a conhecer os meus e se gostar seguir, ficarei grata. Abraços, um abençoado fim de semana.
Profª Lourdes Duarte
http://filosofandonavidaproflourdes.blogspot.com.br/
professoralourdesduarte.blogspot.com.br

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.