.

.

28 novembro 2008

INFINITO OLHAR



Me perco num infinito olhar
nas sinfonias da natureza
ao v o a r das coloridas folhas
e no ondear dos campos de trigo ...
abro o peito para tudo guardar
e neste caminho flores sempre plantar ...
me perco nas nuvens desenhando caminhos
nas luzes acendendo as pontas das estrelas
enquanto o sol aquece sorrindo os horizontes
e lua se abraça ao luar ...
nas aves tricotando ninhos
enquando os peixes se beijam em ondas
e os rios suavemente escorregam no mar ...
me perco neste infinito olhar ...

Maria Thereza Neves

Um comentário:

☆Fanny☆ disse...

Olá!

Cheguei aqui a pesquisar pelo google, quando me deparo com esta belza de blogue!

Uau! Parabéns! Fiquei feliz por encontrar aqui poetas encantadores, nomeadamente a TT(Thereza Neves), uma poetisa que aprendi a admirar há uns anos! Sou sua fã e não poderia passar por este poema e nada dizer!

Voltarei sempre. Posso linkar-te?

Beijinhos*

Fanny

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.