.

.

02 outubro 2009

Ficamos os dois...



E então ficamos os dois em silêncio, tão
quietos
como dois pássaros na sombra, recolhidos
ao mesmo ninho,
como dois caminhos na noite, dois
caminhos
que se juntam
num mesmo caminho...
Já não ouso... já não coras...
E o silêncio é tão nosso, e a quietude
tamanha
que qualquer palavra bateria estranha
como um viajante, altas horas...
Nada há mais a dizer, depois que as
próprias mãos
silenciaram seus carinhos...
Estamos um no outro
como se estivéssemos sozinhos...

J.G. de Araujo Jorge

Imagem 1: Edan Chapman



7 comentários:

Meire Jorge disse...

esse silêncio...
momento triste
ter alguem
ser sozinho!

Bom final e semana
bjss

Nanda Assis disse...

o amor faz isso com a gente. fotos maras!!!

bjosss...

Glória Müller disse...

Oi, minha amiga, já respondi o seu carinhoso comentário lá no meu blog.
Sônia, toda vez que venho aqui vc está sempre se superando. Fico às vezes sem palavras. E, os seus amigos poetas... são também maravilhosos!!
Beijos
Glória

louca esquizoffrenica disse...

ficar-se a dois, um no outro como se fossem um... a essência do amor verdadeiro. Deve ser uma loucura de tão bom. beijo!

lidia disse...

pase a agradecer tu comentrio en bohemia..GRACIAS!!!!!!
un brazo
lidia-la escriba
www.deloquenosehabla.blogspot.com
pasa por mi blog cuando gustes

Paula Raposo disse...

As fotos maravilhosas! O poema lindo de amor...beijos.

RETIRO do ÉDEN disse...

Lindo, lindo...

Parabéns pela escolha.

Mer

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.