.

.

20 março 2010

Chove agora...



Chove neste momento,
o mundo é miragem na vidraça,
tem água na paisagem e
alma se enclausura com cuidado.
A chuva apagou as estrelas,
formou um lago de memórias,
inquietudes, casa vazia…
Chuva cai e oculta tudo lá fora,
bate no vidro e traz saudade,
cai musicando nos telhados,
reverenciando a madrugada.
É chuva que cai na alma,
é o choro do vento na rua,
vagarosas horas de nostalgia,
acinzentando o peito,
quando a natureza entristece.

Sônia Schmorantz




Imagens 2 e 3 por Eduardo Poisl

Observação: Deixei de comentar em inúmeros espaços de amigos, que sempre visito, porque a configuração do comentário exige que aguardemos as letras, e estas não estão sendo mostradas. Por isso, àqueles que infelizmente não pude deixar uma mensagem, fica meu abraço e meus votos de um ótimo domingo!

38 comentários:

EDUARDO POISL disse...

Agora sim, fico feliz por você postar um poema seu, este é lindio como todos que escreve.

Beijos, te amo

in natura disse...

Lindo...Vontade de chorar mas náo de tristeza, não sei porque ou foi do poema ou do momento sei lá não importa. Lindíssimo! Boas fotos. Beijuss

PS: Posso pôr no In natura com uma foto que tenho?

SolBarreto disse...

Adorei o texto!Lindo demais....

Desalinhado disse...

bonito texto :)

Nanda Assis disse...

lindissima a primeira imagem, bacana poesia.

bjosss...

DIONE disse...

"A poesia é o instrumento mais generoso para eliminar a solidão, a indiferença, o desencanto, o cinismo e a discri- minação.
A solidão vale como espaço para refletir em profundidade sobre nosso destino comum e a ausência de solidariedade que deseqüilibra o sistema social, acentua privilégios e exclusões.
Se o poema, muitas vezes, amadurece sem terras, em solidão, sua existência (resistência) se justifica para lembrar que o ser humano mais uma vez não é ilha, mas partilha." Lindolf Bell

Boa noite,Sonia,Ótimo domingo!!
beijo

tossan disse...

Nossa! Que poema! Lindo mesmo junto com as fotos. Beijo

Sônia Silvino disse...

Oi, Soninha!
Tudo continua muito lindo por aqui.
Ótimo domingo, minha linda!
Bjkas, muuuitas!

MARIA L. BÓZOLI disse...

Bom dia Sonia!!

Chuva cai e oculta tudo lá fora,
bate no vidro e traz saudade,
cai musicando nos telhados,
reverenciando a madrugada.

Ke postagem mais linda e que paz.
Beijos na alma e Bom Domingo

direitinho disse...

Chuva cai e oculta tudo lá fora,
bate no vidro e traz saudade,
cai musicando nos telhados,
reverenciando a madrugada.

Que dizer de poesia tão bela....?
São gritos da chuva e da alma.

Obrigado pelo seu comentário, no lidacoelho.
Situação ultrapassada.

Daniel Costa disse...

SÔNIA

Confesso que gostei muito do teu poema, imaginado numa situação ream ou não, o certo é ser profundo e conduzido com sesibilidade.
Hoje nem falas das fotos que estão sempre ótimas.
Beijos
Daniel

momo disse...

vagarosas horas de nostalgia,
acinzentando o peito,
Asi ando yo estos dia amiga, esperemos que la primavera me invada amí también por dentro.
un abrazo muy fuerte

Bandys disse...

Sonia,

Dizem que quando chove é porque Deus esta triste!

Beijos

Chica disse...

Maravilhoso e por aí,ainda que chova, é lindo!beijos,tudo de bom,chica

Elcio Tuiribepi disse...

Oi Sonia...as fotos são muito bonitas, lembrei do Tossam, mas, parabéns ao Eduardo...
O seu poema lembra eses dia que a gente quer ficar quietinho em baixo de uma coberta, escutando a chuva e olhando a cor cinza das nuvens...
Quando a natureza entristece, o céu chora...bonito isso...parabéns pela postagem...
Um abraço na alma...bom domingo...bjo

Maria disse...

Linda poesia e excelentes fotos, como sempre é um prazer enorme vir visitar o seu " cantinho".
Hoje é o seu dia, o dia Mundial da Poesia, por todas essas poesias maravilhosas com que nos brinda aqui, de uma forma tão sublime e intensa, que nos fazem por momentos, soltar as amarras da realidade permitindo a nossa alma navegar por mares de sonho, magia e sentimentos, eu te agradeço.


Bom domingo
bjs
Maria

MEUS PENSAMENTOS disse...

é seu o poema? que lindo!

as fotos estão lindas principalmete a primeira.

ps: bom seria se todos banissem estas letras so ocupam tempo e mais nada...
bjs!

Silvana Nunes .'. disse...

Bom dia, minha querida Sonia.
Estou dando uma navegada rápida para ver as novidades e comunicar o motivo da minha ausência esta semana. Eu moro no meio do mato, literalmente. A única conexão que consegui por aqui foi um 3G, onde devido a altura e, sobretudo a mata, o sinal é extremamente precário. Telefonia nem pensar. Só que esta semana o aparelho apresentou um problema e minha filha levou para o Rio e deixou em manutenção. Não sei quanto tempo vou ficar sem ele, mas de uma coisa eu sei: estou morrendo de saudades dessa troca que fazemos todos os dias. Espero que não me abandone.
Por causa disso, sou obrigada a apelar para a lanhouse, coisa que eu detesto e o faço bem rapidamente.
Pode estar certa, se eu não contar uma história a cada dia para você, é que estou em sérios problemas. Eu amo essa relação que só o blog nos permite ter. Aproveito para dar os parabéns pelo dia de ontem, afinal todos somos grandes contadores de histórias.
FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER... deseja uma boa semana para você.
Beijo grande e Saudações Florestais !
em http://www.silnunesprof.blogspot.com

lupussignatus disse...

natureza

libertadora


[efervescente
de águas
e asas]


*obrigado*
*bom-fim-de-
semana*

Laurita disse...

Lindas fotos lindo poema, tudo lindo. Beijos

FERNANDINHA & POEMAS disse...

QUERIDA SONIA LINDO POEMA, ADOREI...AS FOTOS UM CONJUNTO PERFEITO... ABRAÇOS DE CARINHO E TERNURA,
FERNANDINHA

Pérola disse...

Vim te deixar o meu beijo amada.
Um lindo domingo.
beijokas.

UIFPW08 disse...

Compota, brilhante, feminino, etéreo questão de aparência delicada mão .. ou deslizamento .. mais e não parar .. Fragmentos de você que eu perco todos os dias sem motivo eppure, No entanto, as memórias de viagem fatal amor perfeito, o som da chuva mistero que deu o ombro vendidos mistério Joguei com o rosto vermelho e preto com .. Eu vou para a próxima paragem .. um beijo tolo que não vai esquecer..
MAurizio
Bom semana Sania.

Everson Russo disse...

Chuva lava o coração e a alma,,,deixa o corpo sereno,,,um beijo e uma bela semana pra ti amiga.

SAM disse...

Sonia,

Gostei demais....Sensivel, demais...Bonita demais!


Lindo domingo e ótima semana.

Maria José disse...

Sonia. Os seus poemas são lindos. As imagens do blog, maravilhosas. Você é linda. O seu espaço é muito acolhedor. Parabéns, sempre, amiga. Beijos, e tenha uma semana de muita paz.

Brancamar disse...

Maravilhosas sempre as fotos Sonia e esse cantinho do paraíso que é o teu mar.
A natureza entristece com a chuva, mas o seu cântico na vidraça também tem beleza...muito belos os versos.
Parabéns.
Beijinhos.
Branca

Pelos caminhos da vida. disse...

Fala sério amiga, aquelas letrinhas ninguém merece.

"Desconfie do destino e acredite em você. Gaste mais horas realizando que sonhando, fazendo que planejando, vivendo que esperando...
Porque, embora quem quase morre esteja vivo, quem quase vive, já morreu..."

(Luiz Fernando Veríssimo).

beijooo.

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Amiga.

Chuva é um ciclo
que se inicia ou termina.
Água que chega e se perde no solo
para retornar vida
em flores e frutos.
Assim diante da chuva
não há como não refletirmos
sobre a nossa caminhada,
e olhar para nós
com olhos de chegada
ou de partida.

Que teu coração seja sempre casa de alegrias.

JORDAS disse...

Sônia, Adorei aquele pinheiro do banner.
A sua poesia é fresca como a chuva que cai na vidraça.
Adorei o vento que corre lá foara.
Lembrou Augusto Gil:

" Batem leve, levemente,
como quem chama por mim.
Será chuva? Será gente?
Gente não é, certamente
e a chuva não bate assim.

É talvez a ventania:
mas há pouco, há poucochinho,
nem uma agulha bulia
na quieta melancolia
dos pinheiros do caminho…

Quem bate, assim, levemente,
com tão estranha leveza,
que mal se ouve, mal se sente?
Não é chuva, nem é gente,
nem é vento com certeza.~
...

Continuo visitando a sua ilha.

M@ria disse...

Agradecendo o carinho da sua visita.
Te desejo uma semana de feliz e iluminada.

Beijos M@ria

Mulher na Polícia disse...

Lembra dessa Soninha?

"Eu perdí o meu medo, o meu medo da chuva
Pois a chuva voltando prá terra traz coisas do ar.
Apendí o segredo,o segredo da vida
Vendo as pedras que choram sozinhas no mesmo lugar..."

(Raul Seixas)

Grande beijo querida, adorei o poema!!!

Maria L. Bózoli disse...

Olá amigaaaaaaaaa
Obrigada pelo carinho de sua visita.
Uma semana de muita paz e poesia.

Beijos meus......M@ria

Jaclo disse...

Sonia:
Preciosos tus poemas despidiendo al verano. Aquí, llega la primavera y la flor del naranjo -azahar- inunda con su blancura y aroma intenso la ciudad.
Saludos

Rosemildo Sales Furtado disse...

Olá Sônia! Passando para te desejar uma ótima semana e dizer que adorei o poema, muito profundo.

Abraços e fique com DEUS.

Furtado.

AFRICA EM POESIA disse...

Sonia
bonita HOMenagem a Eugénio de Andrade...


Apesar de inicio de PRIMAVERA (com chuva e frio)
Hoje festejamos a POESIA~~



POETA
Ser poeta…
É ser louco…
É ser sonhador…
É saber dar…

Dar e dar-se…
Na poesia…
Na vida…
No mundo…
E saber que o seu poema…

Foi lido…
Foi sentido…
E, foi tantas vezes… partilhado!...

Partilhado…
Com dor…
Com alegria…
Com amor…

E o poeta sente…
Que o que fez…
Não foi para si|…
Foi para o mundo…

E nessa partilha…
Entende que não mais…
Voltará a estar só!...

Lili Laranjo

AFRICA EM POESIA disse...

Falei no poema que deixou no meu blog ..
este daqui adorei de verdade espero muitos mais.

Chove agora...vai chover sempre...
no seu coração um beijo

Sônia Brandão disse...

Imagens da chuva de fora e de dentro.
Lindo isso.

bjs

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.