.

.

17 setembro 2010

Mar de Setembro


Tudo era claro:
céu, lábios, areias.
O mar estava perto,
Fremente de espumas.
Corpos ou ondas:
iam, vinham, iam,
doceis, leves,só
alma e brancura.
Felizes, cantam;
serenos, dormem;
despertos, amam;
exaltam o silêncio.
Tudo era claro,
jovem, alado.
O mar estava perto,
puríssimo, doirado.

Eugénio de Andrade



8 comentários:

Wanderley Elian Lima disse...

Mar, silêncio, corpos e amor, uma combinação perfeita.
Um ótimo fim de semana para você
Um abraço

C@urosa disse...

Olá amiga Sonia, sempre lindo seus textos e imagens."A amizade sempre será primordial na vida e no relacionamento entre os seres" Paz e harmonia e um bom final de semana.

forte abraço

C@urosa

Confissões de uma borboleta disse...

"Felizes, cantam
despertos, amam.."
Belissimo.
Gostei do que li.
Bom fim de semana.
Karla

sam rock disse...

Enhorabuena por la claridad de las fotografías y del poema.

Un fuerte abrazo

Richard Mathenhauer disse...

Setembro!
Tomarei para mim este Mar de Setembro!

Lindas as imagens... senti as areias em meus pés e o cheiro típico do mar e o barulho das águas na praia...

Abraços,

SolBarreto disse...

Lindo!
O mar e mesmo uma coisa linda e provoca tantos sentimentos, tantas sensações que terminam sempre em poesia...

O Profeta disse...

Sonhei
Com mares, com uma longa travessia
Desfraldei uma vela alva
Naveguei na chegada, na partida morria

Sonhei que era um cavaleiro andante
Por dias de inquietante perdura
Avistei um vagabundo num espelho de água
Era a minha alma talhada em pedra fria e dura


Doce beijo

AROBOS disse...

Dulces versos. ¡Suenan tan bellos en ese idioma...!

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.