.

.

09 junho 2011

PORTO


Não me importa teu nome
nem a cor da terra
que trazes sob teus pés
Não me importa em ti
os vestígios de antigos amores,
o cheiro das noites em claro
que ainda exalas teu corpo
Não me importa tua crença,
teus ritos e mitos,
os sonhos que deixastes intactos
às margens dum outro alguém
Não me importam os rios
que saciaram tua sede
ou a suculência das maçãs
que apaziguaram tua fome
Não me importam os caminhos
que a trouxeram até aqui;
quais pedras e flores te conduziram
Saibas que a mim, meu amor,
nada mais importa
a não ser estes,
que hoje somos,
e aqueles, que um dia seremos
Inda sabendo que assim, sempre fomos
o tempo inteiro.

Marcelo Roque



Imagens da Lagoa da Conceição

10 comentários:

vitorchuvashortstories disse...

Olá, Sónia!

Para quê remexer no passado que já lá vai, quando se quer construir o futuro...?
Lindas as fotos, e agradável o ar que se respira - como sempre!

Abraço, bom fim de semana.
Vitor

Juℓi Ribeiro disse...

Sônia:

Adorei os versos!

Suas fotos são poesias
para nossos olhos...

Um abraço.

Dora Regina disse...

Tudo muito harmonioso por aqui...
Beleza e qualidade como sempre!!!
Grande abraço! Bom fim de semana!

Amor feito Poesia disse...

" A serenidade absoluta
não é a lei do oceano,
o mesmo acontece
com o oceano da vida".

(Gandhi)

Beeijos e carinhos meus...M@ria

MARILENE disse...

Lindo! Não importa, mesmo, o que foi, mas o olhar voltado para a frente.

Bjs.

María del Carmen Menéndez García disse...

Un espacio con frecura. Muy bello.
Saludos cordiales, desde Buenos Aires, María del Carmen Menéndez G.

Luís Coelho disse...

Poesia de nos encantar pelo sentido de cada palavra

"Saibas que a mim, meu amor,
nada mais importa
a não ser estes,
que hoje somos,"

elvira carvalho disse...

Não conhecia este poeta, mas fiquei presa no poema que li e reli.
As imagens são lindas, e fazem-nos acreditar que o paraíso não é uma mera ilusão.
Um abraço e uma boa semana

Graça Pereira disse...

A poesia sobre um amor que se renova por si mesmo - sem lembrar o passado - fortificando-se num presente feito dois. Lindisssimo.
Beijo e boa semana.
Graça

Vieira Calado disse...

Escolheu belas fotografias para estes poemas (desde o início).

Bjsss

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.