.

.

26 janeiro 2013

Fim de sábado com Arnalda Rabelo



Como em um romance, o sol se esconde
no crepúsculo da tarde, e o céu se adorna
de estrelas douradas.

Enquanto isso o mar sussurra baixinho,
as ondas embriagam-se do perfume das algas
aguardando os ardentes beijos da lua.

Arnalda Rabelo


Uma mulher precisa...
Uma seda, uma renda, um perfume
Um alvorecer, um anoitecer
Uma direção, uma confiança, uma proteção
Alguns beijos ao luar ...
Um amor pra se achegar
E um passeio ao céus nas madrugadas.

Arnalda Rabelo


7 comentários:

Eduardo Aleixo disse...

São lindos os versos de Arnalda Rabelo.
E é lindo este teu espaço.
Bom domingo.
Deixo um beijinho.

isa disse...

Fiquei mt curiosa para conhecer
Arnalda Rabelo.
Encantou-me o pensamento.
Beijo.
isa.

Florianópolis e sua Magia disse...

Parabéns pela escolha amiga de luz

Florianópolis e sua Magia disse...

Procuro por almas,
que saibam entoar sonatas ao luar.
Que vivam a céu aberto,
num coração descoberto "

=- Bruno de Paula -=

Florianópolis e sua Magia disse...

Adoreiiiiiiiii, tanto que postei a letra
Obrigado amiga iluminada


" Nasce de um instante
Surge por tão pouco
Não consegues conter
Ilumina-te ...
Preenche-te.
E a mim ... Encanta "
=- Bruno de Paula -=

Florianópolis e sua Magia disse...

Oi amiga, vou ver pois não enviei nenhum email, obrigado por informar.
Sim hoje a alma dos Brasileiros estão de luto e que Deus ilumine as familias e amigos. dia triste e o que nos resta é orar por todos.
Abraços

Florianópolis e sua Magia disse...

Prece irlandesa


" Que a estrada se abra à sua frente.
Que o vento sopre levemente em suas costas.
Que o sol brilhe morno e suave em sua face.
Que a chuva caia de mansinho em seus campos,
e até que nos encontremos de novo,
que Deus lhe guarde nas palmas de Suas mãos."

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.