.

.

26 maio 2013

Há de flutuar uma cidade...



Há de flutuar uma cidade no crepúsculo da vida
pensava eu... como seriam felizes as mulheres
à beira mar debruçadas para a luz caiada
remendando o pano das velas espiando o mar
e a longitude do amor embarcado
por vezes
uma gaivota pousava nas águas
outras era o sol que cegava
e um dardo de sangue alastrava pelo linho da noite
os dias lentíssimos... sem ninguém
e nunca me disseram o nome daquele oceano
esperei sentado à porta... dantes escrevia cartas
punha-me a olhar a risca de mar ao fundo da rua
assim envelheci... acreditando que algum homem ao passar
se espantasse com a minha solidão
(anos mais tarde, recordo agora, cresceu-me uma pérola no
coração. mas estou só, muito só, não tenho a quem a deixar.)

(...)

Al Berto


25 maio 2013

O vento


O vento que chega lento
do mar adentro, do céu adentro,
é o vento do movimento
da flor, do enternecimento
que vem de ti, neste momento,
do teu sossego sonolento.

O vento que ao pensamento
me traz teu deslumbramento,
é o vento do firmamento.
Vento que dá sombra ao tempo,
paz e alento e movimento
ao teu sossego sonolento.

O vento que flui do centro
da noite, dos elementos,
é o vento do olhar imenso
de Deus, vento violento,
que me afoga para sempre
em teu sossego sonolento. 

Francisco Carvalho


19 maio 2013

Duas Solidões



Sempre há duas solidões que se aguardam.
Por isso quero estar junto e viver-te
como a sede vive a fonte.
Atenta ao ruído que anoitece (e adentra)
do cata-vento sobre nenhuma presença
para dar-nos ternura,
nós que tanta ternura presumimos dar.

Sempre há duas solidões que se aguardam.
Por isso quero estar junto
como raiz e tronco
em todas as noites de insuficiência.
Daremos adornos e crepúsculos
aos rostos que nos espiam.
E para tornar-nos serenos
frente ao encontro
esmagaremos corações com nossos corações.

Sempre há duas solidões que se aguardam.
Por isso quero estar junto
como pedra em pedra
ser a sentinela do tempo em sua redoma,
olhar através da redoma os peixes
que plantam luas nas alpondras
e suprem-nos de tanta glória
numa ternura daninha de querer.

Sempre há duas solidões que se aguardam.
prestes a pousar sobre o breve corpo.

Lindolf Bell



14 maio 2013

Não deixes...



Não deixes que termine o dia sem teres crescido um pouco, 
sem teres sido feliz, sem teres aumentado os teus sonhos. 
Não te deixes vencer pelo desalento. 
Não permitas que alguém retire o direito de te expressares, 
que é quase um dever. 
Não abandones as ânsias de fazer da tua vida algo extraordinário.
Não deixes de acreditar que as palavras e a poesia podem mudar o mundo. 
Aconteça o que acontecer a nossa essência ficará intacta. 
Somos seres cheios de paixão. 
A vida é deserto e oásis. 
Derruba-nos, ensina-nos, converte-nos em protagonistas de nossa própria história. 
Ainda que o vento sopre contra, a poderosa obra continua: 
tu podes tocar uma estrofe. 
Não deixes nunca de sonhar, porque os sonhos tornam o homem livre.

Walt Whitman


12 maio 2013

Pergunto ao mar




Pergunto ao mar por que foge
e ao vento por que não vem.
O tempo levou a vida
para outra praia no além.
Há tanto pássaro voando,
meu sonho voou também.
Pousou nas cristas das vagas,
tornou-se espuma salgada
e veio dar nesta praia
onde não há mais ninguém.

E o mar que foge retorna,
retorna o vento também.
Só a vida que foi não volta,
só o tempo que foi não vem.

Gilberto M. Teles

10 maio 2013

Feliz Dia das Mães!




Mãe
Quando Deus criou você, Ele sabia que todo mundo um dia precisaria de colo, 
que fosse criança ou adulto, velho ou moço, rico ou pobre;  
Ele sabia que o calor dos seus braços diminuiria muita dor;  
que um beijo seu curaria muitas feridas; 
que sua voz acalentaria; 
que seu coração seria grande o suficiente para abrigar muitos, do seu sangue ou não...
Tenho certeza, mamãe, que quando Deus te criou, 
Ele só pensava em anjos... portanto nós não vemos suas asas, 
mas podemos sentir quando você nos embala e transporta...

Letícia Thompsom


05 maio 2013

Melhor...



Melhor que ignorar a realidade que nos machuca 
é pegar o que sobra dela e construir um novo mundo 
ou uma nova maneira de viver. 
Se a chuva nos pega de surpresa, 

que então nos molhe completamente, 
que o sol nos seque, 
que o frio não nos impeça de sair de casa, 
que o calor não nos impeça de dormir, 
que a dor doa e parta 
e que a vida seja inteira, 
completa e real!

Letícia Thompsom



Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.