.

.

29 julho 2008


Chegam até mim sons de palavras doces, suaves, como o suave toque de uma borboleta pousando sobre uma flor...
Me retraio, tenho medo, como um animal assustado...palavras...
Desejo reescrever minha história...deixar para trás as tristezas e viver um novo dia, sonhos reais...
Sozinha ouço o som da chuva caindo...
A meia luz formam-se imagens...
Imagens de momentos não vividos, porém sonhados...
A meia luz fico parada a olhar para um ponto distante, sentindo uma presença que chega.
Forma dentro do peito uma tempestade...
Uma tempestade que espero não deixar um rastro de tristeza como tantas outras já passadas...
Uma mistura de sentimentos, desejos desconhecidos...
Estranha sensação...
Sensação de querer, de não ter...
A meia luz percebo você, um vulto caminhando em minha direção.
Um perfume no ar, a suavidade de um toque, a delicadeza de um beijo...
A meia luz recomeço a viver...a sentir...a querer.

Elcia Belluci

Um comentário:

Rosani Nauar disse...

Olá! Querida amiga Sônia

Entro nesse seu mundo aqui mágico, esse post cheio de sensibilidade, e luz me ilumina. Parábens!!! cada dia está mais lindo seu blog, eu venho sempre beber dessa sua fonte de amor, alegria,e esperança. Você não faz idéia como me sinto feliz aqui.


beijos perfumandos nesse seu coração de Luz, amiga querida.

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.