.

.

11 dezembro 2008


Um dia destes, pela tardinha
ao pôr do sol
vou pôr nas tuas as minhas mãos.
Quero senti-las belas, longas e esguias
tocar nas minhas sinfonias
em si bemol.
Um dia destes, pela tardinha
ao pôr do sol
quero que ponhas toda a ternura
nas pontas dos teus dedos
e com eles toques meus lábios
desvendes meus segredos
e com eles desenhes claves de sol
nos meus cabelos.
Um dia destes, pela tardinha
ao pôr do sol
vou pôr nas tuas as minhas mãos
para que nelas possas ler
na minha sina
esta paixão imensa, desmedida
este enorme si bemol
na clave de sol da minha vida ...

http://comorosasdeareia.blogspot.com/

Um comentário:

Delfim Peixoto disse...

Sendo músico, e amante de poesia, achei soberbo, genial, enfim, um doce, este poema
Parabéns
Bj

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.