.

.

29 janeiro 2009


Quando as folhas caírem nos caminhos,
ao sentimentalismo do sol poente,
nós dois iremos vagarosamente,
de braços dados, como dois velhinhos...

E que dirá de nós toda essa gente,
quando passarmos mudos e juntinhos?
- "Como se amaram esses coitadinhos!
Como ela vai, como ele vai contente!"

E por onde eu passar e tu passares,
hão de seguir-nos todos os olhares
e debruçar-se as flores nos barrancos...

E por nós, na tristeza do sol posto,
hão de falar as rugas do meu rosto...
Hão de falar os teus cabelos brancos...

Guilherme de Almeida

20 comentários:

Escrevendo na Pele disse...

Simplesmente lindo e belo!! Sublime... beijos em você e na poesia tecida nas mãos da fada!!

Ana Martins disse...

Amiga Sónia,
ora aqui está um lindo soneto!

Parabéns pela escolha, vence sempre o bom gosto!

Beijinhos,
Ana Martins

Daniela disse...

Adorei ler... obrigada pelos comentários sempre doces
Bj doce

Gilbamar disse...

No outono da vida o amor precisa estar evidentemente forte e ser sincero para que, sem o fogo da juventude, o casal possa continuar sendo feliz.

Fraternal abraço do amigo Gilbamar.

Raquel disse...

Me faz tão bem suas palavras, vindas desse canto lindo de que tanta saudade sinto... e é assim gostoso sentir esse carinho atravessar esse oeano que nos une... basta um dia experimentar tocar essa água.. e vai sentir, é a mesma daqui... por isso, ... beijinhos verde-amarelos

Málvadinha disse...

Adoro ler os seus posts, obrigada pela sua visita ao meu Blog e pelos comentarios.
Bjs

Diogo Caceres disse...

Nossa que lindo poema, muito bom mesmo Sonia... parabens pela postagem.
Uns tempos atras conheci as poesias de Guilherme de Almeida e achei essa muito linda:

Terceiro Soneto
(Guilherme de Almeida - Espirito)

Mas não te olvidei, meiga companheira!
Nem tu guardaste o meu velho retrato...
A vida é peça eterna, e a morte, um ato:
Não tem o amor limite nem fronteira!

Minha alma é da tua prisioneira...
E eis que ergo vôo, e como Ser abstrato
Avanço pelo céu - como um extrato!
Buscando a nossa casa derradeira...

E te vejo a lembrar nosso passado:
Juras de amor... bilhetes cor-de-rosa...
Alamedas... E, ali fico ao teu lado

E a nos fitar a imagem de Jesus...
E beijo tua face inda formosa,
Emoldurada por intensa luz...

Sua noite seja rica de bons sonhos, abraço!!!

tossan disse...

À beira de um universo marítimo
- o universo das sombras em que me encanto -
o alardear das ondas de som, compridas & graves
os flocos de neve da terra que vejo e conheço
como os próprios flocos de açúcar do doce natal de 92
Está a voz de meus anos, de meu tempodo alvoroço de grama
das curvas de água
do futuro que sou,
da lembrança que não fui,
dos dias maiores de uma época rota.
até enfim a trombeta & o vinho
(que universo, de tempos em tempos, deixe de ser marítimo.
que seja, universo meu, país e prazer de águas.
porque se teimo em ser asas, não é em vão
– as asas que teimam ser eu:
deslumbrantes, felpudas, sonoras e
cândidas asas.)
por Lucas Haas Cordeiro

Abraços

Rosani Nauar disse...

Amiga Querida!!


Agradeço seu carinho no meu cantinho, bem que voce me disse uma vez o blog tem magia, é nossa alma através dos poemas, imagens e músicas...eu seu querida é meu refugio.

beijos perfumados

UMA PAGINA PARA DOIS disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Aníbal Raposo disse...

Cara Sônia,

Louvo a boa escolha dos poemas com que nos presenteias. Este soneto é muito belo.

Bom fim-de-semana!

Melsavinon disse...

A ilha onde moras é tão perfeita...que deve ser uma inspiração para teus escritos...que me encantaram.Obrigado pela visita!

(Carlos Soares) disse...

Passando para agradecer o carinho e atenção e desejar um ótimo final de semana

manzas disse...

Estar aqui presente
Sempre com palavras
Luzentes brilhantes…
É como flutuar
Em águas calmas
E no fundo ver diamantes

Um bom fim-de-semana
Inundado de paz…

O eterno abraço…

Daniel Costa disse...

Sonia

A variedade dá a alegria. Aque aparece muita variedade, mas sempre qualidade, inquívoca qualidade. Como é terno este poema de Gulherme de Almeida!...~

Com objectivo de melhorar a configuração do blogue daniel milagre, foi iniciado um novo. Por isso deixo de postar no outro. Sempre grato, espero que o visitem, para o que deixo login:
http://www.blogger.com/profile/14117752001780609438

NOTA: já tem poesia.
Daniel

Luiz Caio disse...

Oi Sonia! Como vai?

Como sempre um lindo texto!

TENHA UM ÓTIMO FINAL DE SEMANA!
BEIJOS.

O mar me encanta completamente... disse...

Passando para te ler Soninha.
Cada vez mais lindos teus poemas.
Gosto de estar aqui.
Aproveito para lhe desejar
um fim de semana cheio de paz.

Meu carinho, sempre.

Rossy disse...

QUE DISFRUTES DEL FIN DE SEMANA BUENAS NOCHESS

Arantza G. disse...

Bello poema.
Feliz fin de semana.
Besos

Luísa disse...

Na sua inspiração, bailam as letras que tão belas palavras formam...Rodopiam as rimas e expiram-se melodias de amor!

obrigada pelas enriquecedoras visitas, com o seu olhardeperto!

Bom fim-de-semana!

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.