.

.

14 janeiro 2009


Quero
uma casa sem portas,
Um espaço sem vento!
Um amor com amor!

Quero,
Um rumor de água
por perto,
iluminando o teu corpo
aberto como um barco.

Quero
um cais ou um porto
onde as gaivotas se percam
e as andorinhas
secretamente nos avisem
que a Primavera chegou.


(luiza caetano)

5 comentários:

tossan disse...

Belíssima fotografia. Muito! O poema também acompanha a beleza!

Abri meus olhos de alma ensopada
Salpicados pelo cheiro da maresia…
Na fina areia molhada o mar me acordava
Num manto de espuma branca, me dizendo…bom dia vida!(Amigo Manzas)

Beijo

Vieira Calado disse...

Oí, amiga!
Sabe que horas são em Portugal?
5 e picos.
Vou-meditar!

Beijinhos

(Carlos Soares) disse...

CARTA AOS BLOGUEIROS
Olá,amigos(as). Aliás nem tenho tantos aqui,mas não porque sou instrospectivo,como às vezes eu mesmo me acho. É porque não tenho muita paciência com esse tal de computador. Ou é porque passo maior parte do tempo escrevendo (isso é uma verdade,(faço poesia o dia inteiro,tirando as horas de trabalho,claro, pois nessa hora é quase um ritual de concentração). Ou então é essa tal timidez, essa viagem pra dentro de mim, que me enche o saco, mas sei que já melhorei. Estive pensando: Vejo tantos blogs lindos, coloridos, muito bem ilustrados e às vezes bate até uma pontinha de inveja (odeio essa palavra) porque não sei mexer muito. Vejo todos se elogiando e acho bonito isso. Não sei muito pegar scraps, imagens, mensagens. Mas não sou burro nao, viu? Só impaciente, embora a impaciência seja uma forma de burrice também. Estou dizendo isso aos amigos porque os vejo trocando selos e outros recursos, alguns até me oferecem, mas eu nem sei ir buscar. Não é pouco caso. Já tentei, mas quando vou lá, e vou colar,dá errado,aí deixo pra lá. Até meu blog quem fez foi minha amiga querida,ANITA, que amo. Meu blog é meio preto e branco, meio sem graça, só tem textos longos, pessoais e talvez não atraia tanta gente, mas tenho certeza que os poucos que vêm gostam e os considero muito. Nem sei porque estou dizendo isso, talvez seja mais uma de minhas bobagens, mas é só pra dizer a todos que não me levem a mal. Nada contra os amantes de imagens e do visual, mas eu me dedico mais às palavras, talvez numa forma de chamar atenção para a pessoa Carlos. Claro que vejo blogs lindos com imagens e textos lindos também, não estou confrontando, imagem contra texto, é porque eu sou mesmo centralizador. Sei que pareço egoista, não no sentido materialista da palavra, mas de me amar ao extremo. Não quero que jamais uma imagem apague a minha imagem. Quero meu texto acima de qualquer scrap, porque dentro do que escrevo estou eu e não sei ser mais ou menos. Estou vivendo um de meus melhores momentos poéticos e gosto de contar a todos e temo que uma imagem se sobreponha ao que escrevo. Sim, porque não escrevo para mim, escrevo para as pessoas. E talvez seja por isso que meu blog é tão preto e branco , para que me pintem, cada um, como quiser. Mas dentro de mim existe um verdadeiro arco- íris. Um abraço a todos.

JOCENDIR CAMARGO disse...

Quero seu sorriso, quero essa casa,uero que tenhas um final de semana lindo como esse poema...
um beijo com meu carinho...

Carlinhos Horta disse...

Poema lindo demais. Assim como essa bela ilha de Florianópolis. Moro quilômetros de distância, mas conheço a beleza desse lugar. Sonho um dia em morar na ilha. ;)

Um abraço>

http://escondidin.blogspot.com/

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.