.

.

26 fevereiro 2009

Esperas


Quando penso em esperas, sempre penso em bancos.
Mas sempre em dois bancos.
Assim como quando penso em solidão,
sempre penso em bancos.
Num banco.
Assim, as minhas esperas são sempre a dois.
A minha solidão, às vezes não foi a um.
Mas poucas.
E já não me lembro. Agora, não.
Agora, quando penso em bancos,
penso em dois bancos.
Sempre. E espero.
Tornei-me numa impaciente
que gosta de esperar.
Se alguém vir alguma contradição nisto
eu posso explicar.
O meu problema está em saber
explicar o que sinto. Enquanto espero.
Ah, o tempo.
Só por acaso o tempo está cinzento.
Quando espero o tempo nunca está.
Nunca dou pelo tempo,
desde que aprendi a esperar.

Isabel Faria
Imagem: Internet

14 comentários:

José Carlos Brandão disse...

Quando penso solidão
penso numa pedra.
Espero florescer.

Um beijo.

Luiz Caio disse...

Oi Sonia! Como vai?

Acostuma-se com tudo não é mesmo?
Depois de um certo tempo, a espera deixa ser espera e passa a ser companhia...

TENHA UM ÓTIMO FINAL DE SEMANA!
BEIJOS.

Morango com leite condensado disse...

Olá!!!

Tem um selo pra ti no meu blog...

Bjos

Daniel Costa disse...

Sonia

Dois bancos e muita imginação poética. Imaginação e sensibilidade apreciável da bloger nas suas escolhas.
Daniel

O Profeta disse...

O julgamento dos teus fracassos
É feito numa lagoa sem azul
Um milhafre lança um pio de raiva
Que atinge o branco das casas do sul

Depois, o silêncio da solidão
Esta muda inquietação
Um barco sem água no casco
Numa espera de assombração


Bom fim de semana


Mágico beijo

Luísa disse...

Quando penso em solidão, penso para onde foste...
Solidão jamais sofrida porque vivida com a solidão de outrem

Carmem disse...

Oi Sonia!...
A espera...a solidão...a dois ou a um é sempre triste!

Beijooo

Carmem disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Baby disse...

A espera nem sempre é triste, ainda mais quando é feita em dois bancos, e num deles more a esperança...
Todos devemos aprender a esperar.

Beijo.

Marta Vasil disse...

Este poema que oura vez tão bem soube escolher fez-me reflectir bastante.
Tanta coisa nos vem dançar em frente dos olhos enquanto esperamos, não é?
Será que todos nós já aprendemos a esperar?

Beijinho e bom fim de semana

MV

Eu disse...

Que lindo! Procuro sempre juntar a espera com a esperança... minha vida é um eterno esperar, mas não faço disso tristeza, pois quem espero existe e um dia vai chegar.
Um grande beijo e obrigada pelas visitas e comentários em meu cantinho.

Marta Vasil disse...

Sónia

Na lapela do meu blogue está um selo que lhe passo de coração aberto. Queria muito que o fosse buscar.

Beijinho

MV

Pico minha ilha disse...

Quando sabemos viver a vida e ocupar o tempo, na espera nem damos por ele passar.Beijinhos Sónia e bom fim de semana.

Luísa disse...

Há deafio no olhardeperto.
Beijinhos

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.