.

.

18 março 2009

Soneto para Voar


Desculpe-me o silêncio das palavras.
A voz que cala é a mesma que diz: não!
Não tenho explicações para estas travas
que se fecham aos ventos da razão.
As portas da esperança pedem asas
e penas de aventuras nas canções,
para voar na dor, por sobre as casas,
das páginas de sonhos e emoções.
Tenho a ilusão do verso.
Isso me basta.
Persigo a flor da doce arribação,
e um oceano antigo inda me arrasta...
Não deixa em paz as águas da paixão.
Bem sei que o vôo é lúgubre e desgasta,
mas não sei caminhar com os pés no chão.

Nathan de Castro

9 comentários:

Luana Ferraz disse...

Eu tb quero essas asas...

beijos.

FERNANDA & POEMAS disse...

QUERIDA SÓNIA, MARAVILHOSO POEMA AMIGA... ASOREI... UM ABRAÇO DE CARINHO E TERNURA,
FERNANDINHA

Eu disse...

Nossa!! Que lindo! Também não sei caminhar com os pés no chão...
Um grande beijo amiga!

SAM disse...

Lindo! Adorei, Sonia!




Beijos

Mar Arável disse...

Mesmo com pés no chão

aves em terra

é possível voar

basta fechar os olhos

para ver

Branca disse...

Lindo Sônia!

Bom fim de semana pra vc,
bjos!

Luz Cardoso disse...

Olá gostei do seu blog e por isso lhe dei um prémio no meu, tem que passar no meu blog pegar a imagem e colocar aqui no seu.
O meu blog é:

http://luzcardoso2.blogspot.com/

Abraço de Luz!!!

Namasté!

Luz Cardoso

CarlaSofia disse...

gostei de passar aqui, vou levar um pouco dessa esperança, preciso muito
~universosquestionaveis~

CarlaSofia disse...

gostei de passar aqui, vou levar um pouco dessa esperança, preciso muito
~universosquestionaveis~

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.