.

.

22 abril 2009

Um vento leve, uma espuma


Do beijo fica um sabor,
do sabor uma lembrança,
um vento leve, uma espuma.

Do beijo fica um sereno
olhar, o amor de coisas
minúsculas e humildes,
um pássaro que vai e vem
da nossa boca às palavras.

Do beijo fica, suprema,
a descoberta da morte.
Um vento leve, uma espuma
salgada, à flor dos lábios.

Fernando Assis Pacheco - Portugal

15 comentários:

Adrisol disse...

hola sonia!!!!!!!!

estoy en tu playa con esa brisa tibia que roza mi cuerpo..............gracias por compartir!!!
un abrazo, reina

Adolfo Payés disse...

Hermosos poema..

que delicia navegar en tu espacio..
un abrazo inmenso

saludos fraternos

Maria Clarinda disse...

Lindo, lindo este poema!!!
De alguém que muito admirei, admiro.
Jinhos e obrigada pela partilha.

Victor Gil disse...

Amiga Sônia.
Trazer Assis Pacheco, é trazer as palavras certas, palavras finas e sensíveis, de um poeta autentico.

Há sempre um sussurro,
há sempre um beijo,
há sempre um vento,
neste mar que me separa,
nesta mar largo e profundo.

Um beijão para você.
Victor Gil

rouxinol de Bernardim disse...

O sabor da poesia e o sabor dos sentidos num amplexo maravilhoso...

Ernani Netto disse...

Lindo poema!

Me fez refletir em quando me faz falta beijar meu amor todos os dias!

Bjaum

Antonio Paulo disse...

Bom dia Sonia ainda consvalescendo tenho estado ausente. Mas agradeço suas palavras no meu blogue. Belo poema como todos aqui um bom final de semana.

Daniel Costa disse...

Sonia

Um poema em jeito de Fernando Assis Pacheco, que conhecia bem, pois interagi bastante com ele. Colaborava numa efémera revista de música. Tinha o nome, precisamente,
de "Musicalíssimo."
Abraço,
Daniel

meus instantes e momentos disse...

é muito bonito teu blog, é bom vir aqui.
Linda foto, lindo poema..
Maurizio

sidneymramos disse...

Agora todo dia tenho que passar aqui e pegar esse vento para me sentir bem.
Muito obrigado por você ter ido lá e me dado uma força de incentivo.
Estou começando meu blog mas com a ousadia de seguir o que há de melhor, aí eu venho aqui.
Um abraço e volto sempre.

Rosemari disse...

Sonia

Escolhe poemas com os olhos do coração para postar em teu blog.
Você e Posil formam o casal virtual mais lindo que já conheci na net.

beijos

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Sonia, bela imagem...belo poema...Espectacular....
Beijos

Reggi* disse...

Oiiiiii sôniaa.. !
muito lindo o post..
a imagem é linda..
quero uma foto assim minha rs..rs..rs..
Fique com Deus..
Beijãããoo.. ;**

lupussignatus disse...

as puras

e

ancestrais

águas



[da poesia]




[saudade

de f. assis

pacheco]

Fernando Campanella disse...

Olá, Sonia, meu nome é Fernando Campanella, visitei o teu blogger, e adorei, ah, tem um poema meu lá, o 'Requiescat', 'De meu mar, ofereço-te as ondas e as praias que poéticas conchas te trazem...'
Muito obrigado pela postagem. Olha, estou enviando o link de meu blogger onde vc poderá ver meus poemas, crônicas, minhas fotos e pesquisas. Espero que goste. Grande abraço, minha amiga.

http://www.fernandocampanella.blogspot.com/

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.