.

.

16 maio 2009

Eu queria trazer-te uns versos muito lindos



Eu queria trazer-te uns versos muito lindos
colhidos no mais íntimo de mim...
Suas palavras
seriam as mais simples do mundo,
porém não sei que luz as iluminaria
que terias de fechar teus olhos para as ouvir...
Sim! Uma luz que viria de dentro delas,
como essa que acende inesperadas cores
nas lanternas chinesas de papel!
Trago-te palavras, apenas... e que estão escritas
do lado de fora do papel... Não sei, eu nunca soube o que dizer-te
e este poema vai morrendo, ardente e puro, ao vento
da Poesia...
como
uma pobre lanterna que incendiou!

Mario Quintana (Quintana de Bolso)
Imagem: Internet

12 comentários:

Jose Ramon Santana Vazquez disse...

...y desde fuera del papel te envio un beso de mi alma solo para ti...jose ramon.

Adolfo Payés disse...

que lindos leerte siempre...

saludos fraternos con mucho cariño
un abrazo inmenso

besos muchos
que tengas un domingo muy hermoso

Pena disse...

Linda Amiga:
Um poema que fascina, delícia e encanta.
É de uma originalidade incrível de talento e génio fabuloso.
Simplesmente, notável.
A profundidade dos seus maravilhasos versos fascina, encanta e enternecem.
Fantástico, amiguinha.
Adorei, com seriedade e veracidade.
Bem-Haja pelo seu talento em fazer versos lindos numa pessoa linda, VOCÊ!
Sempre a admirá-la e a respeitá-la.
Beijinhos amigos...
Adorei! É linda.
Com um consideração gigante/amiga ímpares...

pena

OBRIGADO pela deliciosa e soberba pessoa que é.
Bem-Haja, por se preocupar comigo de forma afável e doce.
Com admiração e amizade sinceras e sentidas pelo seu encanto...

pena

direitinho disse...

Hoje poderei por mais tempo ler as obras publicadas no seu blogue.
Admiro a sua sensibilidade e gosto na escolha dos poemas e dos poetas.
É preciso parar para ler e entender a maravilha do pensamento do escritor.
As frazes saiem da alma e trazem uma mensagem que se pretende transmitir ou mesmo partilhar.
As fotos são e estão tambem lindíssimas. Essa região do Brasil é um verdadeiro paraíso.
Votos de uma boa semana.

Luísa disse...

Há poemas escritos, num certo bloco de papel, que jamais sairão de lá, por não serem perfeitos nem belos na sua métrica!
Todos temos palavras escritas que jamasi publicaremos.são as nossas palavras, aquelas que nos mostram!As que lançam um perfur muito nosso, que apenas dividiremos com uma pessoa...
Adorei o poema!
Beijinho terno, Sónia!

Ernani Netto disse...

Difícil isso de saber o que se quer mas não saber expressá-lo.

Bjaum

Haideé Iglesias disse...

Cuando las palabras salen del alma, vuelan en armonía con el viento, quizá por eso la linterna se inflamó :)
Bonita fotografía elegida, tal como farolillos chinos...
Gracias por hacerme compañía, siento la tardanza en contestar... un placer para mi visitarte.
Que tengas un feliz comienzo de semana :)
Un abrazo

Arantza G. disse...

Un placer visitarte.
Muchos besos

SAM disse...

Amiga...Não conhecia este belíssimo poema! Amei! Obrigada.

Beijos e lindo domingo!

Ana Lúcia Porto disse...

Oi Sônia!!
Obrigada pela visita.
O seu blog é uma delícia...
Você mora nesta cidade praiana, Itapema? Que lugar bonito e gostoso! Conheço Camboriu e umas outras cidades de passagem, somente. Embora já ouvi este nome Itapema, não me recordo de ter passado por ela.
Hoje é que notei a ligação sua com o Eduardo Poisl, vendo o seu slide. É, ambos possuem a poesia na veia, suas poesias são lindas e as que escolhem para postar, idem.
Beijos,
Ana Lúcia.

AnaLua disse...

Olá, pelos versos que você escolhe pra publicar no blog, percebo-te como uma alma extremamente sensível. Obrigada pela visita ao meu blog, serás sempre bem-vinda!

Beijos enluarados!

A.S. disse...

Trás-me o teu sorriso... Simplesmente!
É mais lindo que um verso...


Beijos!

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.