.

.

25 julho 2009

Sexta Hora


Naquela tarde
meu pensamento vacilava pela sala
querendo um lugar no sofá
mas os papéis brancos resmungavam
lembranças...
O tempo que corria lá fora
resolveu parar nos instantes
eternizados nos portas-retratos
que insistiam em dizer-se
saudade...
Lá fora já era noite
quando o último papel
ainda branco
me acenava
no dorso do vento
pela calçada.

Sandra Falcone
2009 © Portugal em Linha - a Comunidade Lusófona online

29 comentários:

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

Lindo poema meu amor.
Beijos te amo

Nanda Assis disse...

os ventos que levam os momentos são os mesmos que trazem saudades.

bjosss...

Daniel Costa disse...

Sónio

Belo o poema, belas as fotos, que também são poesia, interessante o acervo, que vai aparecendo em linha a delicitar os visitantes, que gostam do género.
Daniel

direitinho disse...

o tema da saudade nunca se esgota.
Quem não fica preso nas fotos que o tempo gravou.
É bom recordar ainda que a saudade nos faça chorar

Layara disse...

As vezes é assim, uma saudade que insiste em permancer tão presente.

Um beijo Lilás!

otimo domingo!

artemar disse...

belo
bonita forma de transmitir o impulso para escrever.

-------------

pois, parece que, em algumas coisas, deviamos ser como os animais.

abraço para si

gianlucio disse...

Olá Sonia, obrigado pela sua visita ... sempre que passo a você.
Beijos
Gianlucio

Gleidston disse...

Ai,ai essas saudades que insistem em não partir,
Belo momento de inspiração Sónia.

Desejo á voce um domingo de paz,

beijos!

SAM disse...

Bom dia, Sonia! Belo poema e imagens amiga! Adorei!


*Nota*

Voce é bem sensível amiga o poema de Affonso Romano de Sant’Anna que postei foi de um livro quando estava residindo na Alemanha e lecionava na universidade de Colônia, longe da pátria ,submetida a um regime autoritário, repensa sua biografia e trata de fatos e sentimentos ligados ao cotidiano...

Beijos

©tossan disse...

Olha o que o vento trás antes da chuva chegar na ilha. Gostei muito da segunda foto. Beijo

Luiz Caio disse...

Oi Sonia! Bom dia!

O texto está ótimo, como sempre!
Mas esta imagem( a primeira) desta vez roubou a cena... É muito linda!

TENHA UM ÓTIMO DOMINGO!

BEIJOS

Úrsula Avner disse...

Que encanto de poema Sonia, eu não conhecia esta autora. Grande sensibilidade poética um poema com lindas metáforas ! Obrigada por sua amável visita e comentário no Gotinhas. Bj.

FERNANDA & POEMAS disse...

QUERIDA SONIA, BELAS FOTOGRAFIAS E UM SUBLIME POEMA AMIGA... ABRAÇO-TE COM MUITO CARINHO,
FERNANDINHA

Graça Pereira disse...

Um poema maravilhoso para este fim de domingo, quente saboroso por aqui. Gosto demais daquelas pedras batidas pelo mar,foto digna de concurso. E a outra da prainha,calma, coma ternura de fim de tarde. Boa semana,Soninha.Bj Graça

Bandys disse...

Sonia,
O vento tras a saudade dizendo pra onde a alma quer estar ...
As fotos estão maravilhosas!

Beijos e uma semana de muita luz!

VANUZA PANTALEÃO disse...

A folha em branco, eterno desafio dos que desejam transpor seus sentimentos para o plano da realidade...
Divinas fotografias...
Carinhoso abraço, Sonia!!!

Eu sei que vou te amar disse...

Lindo poema, paginas em branco de um livro em que chamamos "Vida", preso a memorias e saudades, colorindo a nostalgia!
Adorei as imagens, sao lindas!
Um beijo doce

Dora Regina Dias Pereira disse...

É sempre muito bom passar por aqui, tem sempre lindos poemas pra se ler e lindas imagens pra se apreciar.
Um abraço.

A.S. disse...

Sónia...

O último adeus é sempre o mais doloroso!


Beijos!

Susana Garcia disse...

bonito esse poema e foto

Jorge disse...

Gostei deste poema e das fotos que o acompanham...
Desejos de uma boa semana.
Bjs

Sofá Amarelo disse...

Tem um lugar no meu Sofá... Amarelo!

A Senhora disse...

Ontem eu estava a olhar vários porta-retratos, fases de vida, pedaços de sorrisos e felicidade.
Acho que papel em branco jamais conseguiria captar esses momentos, né? Somente nossas lembranças no aconchego do sofá e, quem sabe, no abraço de alguém que relembra esses momentos conosco.

beijocas

Sônia Brandão disse...

Sônia, essas imagens tão lindas me enchem de saudade.

Beijos e uma boa semana.

Pena disse...

Amiguinha:
O seu poder é imenso. Adorável. Terno. Fabuloso e doce.
Como consegue expressar tanta doçura e encanto visíveis e manifestos em versos adoráveis de fascínio...?
É uma perfeita amiguinha de sonho.
Linda. Admirável e sensacional poetiza.
Bem-Haja, amiga.
Deslumbrante, o seu doce versejar.
Beijinhos de gratidão pela sua linda amizade...

pena

MUITO OBRIGADO pelo ser doce como é.
MUITO OBRIGADO pelo seu encanto e ternura.
Adoro tudo o que, maravilhosamente, faz em versos notáveis.
Desculpe, o meu tardio comentário que não é usual em quem me visita. Motivos pessoais inadiáveis.
Desculpe!

Maria João disse...

Sónia

Porque a saudade provoca em nós simultaneamente duas emoções, a dor da falta ou da perda e o prazer de recorrer à memória das coisas boas, ela é dos sentimentos mais inspiradores que conheço, a seguir ao amor.
Por isso este teu poema é tão real e lindo.

Um beijinho e obrigada por nunca se te esqueceres de mim...

Ana Lúcia. disse...

Sonia,
papel e porta-retrato é a soma perfeita que sempre traduz a tal "saudade"!!
Lindo, singular!!
Beijãozinho e aquele abração apertadinho!!

Everson Russo disse...

Um beijo querida amiga e uma semana cheia de paz e poesia na alma....

www.olivrodosdiasdois.blogspot.com

J. Araújo disse...

Sonia, parabéns pelo lindo blog.

Voltarei outras vezes.

bj

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.