.

.

22 agosto 2009

Quando quero falar de amor


Quando quero falar de amor, às vezes calo:
Há um som no coração, mais alto que a palavra,
Canta pelas ruas, mesmo sozinho,
Tamborilando nas paredes uma música
Que fala do mar, da flor, da saudade.
No peito a música impele estranha
A palavra congelada no papel.
É um canto sem letras,
Que só o coração conhece o tom...
É coração que floresce, amor que aquece
E que a palavra esquece...
Quando quero falar de amor, se calo
É porque o coração canta mais alto a paixão.
No silêncio desta madrugada
Vem ouvir a canção que sai do meu coração
Pois ele canta baixinho, só para ti...

Sônia Schmorantz

16 comentários:

EDUARDO POISL disse...

Lindo meu amor, bem como você é mesmo, mais mesmo calada teu coração sempre fala de amor.
Beijos, te amo muito e com está poesia mais ainda

Adolfo Payés disse...

Hermoso poema.

Saludos fraternos
Un abrazo

Que tengas un buen inicio de semana

direitinho disse...

Parabens Sónia.
É impossivel gostar tanto de poesia e ler tanta poesia sem que ela viva e cante no nosso coração em tons graves ou suaves, beixinho ou mesmo sem qualquer som.
A poesia é a música do amor que escorre dos pensamentos e quando o poeta entende a passa ao papel.
Este viver dá sabor à vida, a tempera e a anima.
Um beijo português.

mariabesuga disse...

quando queremos falar de amor o poema é o lugar perfeito para soltar as palavras...

VÓNY FERREIRA disse...

Sónia, olá...
Identifiquei-me tanto com este seu poema!
No intimismo do que lhe vai na alma, as palavras brotam com uma força fantástica.
Como é bela a poesia quando tem esta dimensão!
Bj e obrigada por partilhar

Vóny Ferreira

Brancamar disse...

Por vezes a linguagem do silêncio é bem mais forte e emocionada e ela transparece nos olhos e em toda a expressão do rosto, para quem nos sabe ler...
Gostei muito e as suas fotografias são maravilhosas. É um paraíso o ambiente que vos rodeia.
Beijinhos.
Branca

Jaime Cortizo disse...

O amor no coraçao, Viva o amor!!

Apertas!

Stella Tavares disse...

Uma linda canção! Um lindo poema! Parabéns!

Nade disse...

Nossa, que lindo!
Linda declaração de Amor!
Bjos, querida e um super domingo pra você!

Sandra disse...

belissimo!

Beijos...

O Faroleiro disse...

Há momentos em que as palavras são insuficientes para traduzirem o que o silêncio interpreta...

Astrid disse...

Passando por aqui para deixar beijar, flores e estrelas *****

Rosemildo Sales Furtado disse...

Como sempre, a inspiração te levando a belas criações. Lindo Sônia!

Beijos pra ti e para o Eduardo.

Furtado.

Ricardo Calmon disse...

Um hino ao amor profundo!

Belo!

Domingo lindo para voces!

Viva Vida!

Paula Raposo disse...

Muito belo tudo o que sai da nossa alma! Beijos.

O Profeta disse...

Não me queres dizer onde mora o teu sorriso
Ausente do incontido abraço
Ausente das palavras felizes
Envolto em nuvem escura no espaço

Não me queres dizer o rumo
Que leva ao teu terno coração
Não me queres abrir as portas
Da cor vibrante da paixão?


Bom domingo



Doce beijo

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.