.

.

10 agosto 2009

Sobre a Invisibilidade


Algumas pessoas se tornam inesquecíveis
ao mesmo tempo em que se tornam invisíveis...
Existem amores duradouros que se mantêm
graças a outras “concretudes”.
companheirismo...afinidade...fidelidade...
E existem amores que existem na
sua condição de impermanência...
Como as estações que aparecem e se desmancham,
a cada ano...deixando a imagem de um pôr-do-sol,
folhas que caem em verso ou reverso,
a chuva estupenda que lava uma tarde única.
Ficar com estes amores é
como tentar pegar as nuvens...
Certos desejos só cabem na memória,
uma instância que até parece a realidade,
mas não é a realidade...
Nela não há mais tempo nem espaço...
apenas a beleza imaterial.
A beleza sem "corpo".
De quantas desistências é feito o sonho?

Célia Musilli

19 comentários:

EDUARDO POISL disse...

Teu blogger está lindo, um poema mais lindo que o outro.
Beijos te amo Sônia

Adolfo Payés disse...

Versos como siempre llenos de la pasión escrita..

Me gusto mucho
Saludos fraternos
Un abrazo

direitinho disse...

O tempo passa e dele apenas sobram alegres ou tristes recordações.Já não sei se seria melhor parar este tempo e guardar apenas as coisas boas e belas que no tempo aconteceram e nos deixaram uma alegria muito singular que jamais queremos ver esquecida.

Dois Rios disse...

Sonia,

As formas de amar são diferentes, mas o amor é único apesar dos sem-fim de adjetivos que lhe atribuem.
O sonho sim, é único na sua forma de acontecer, embora diferente no conteúdo. Desistir de sonhar é o mesmo que desistir de viver. Não cabe, não rima, não encaixa.

Lindo poema e belas imagens, como sempre!

Beijo,
Inês

(Carlos Soares) disse...

Ah, esses amores que a gente vê, mas não toca,assim como as nuvens. Meu coração também é uma nuvem inconstante,que muda a todo instante.A diferença é que ele é fácil de tocar. Lindo poema da Célia. Desejo ótima terça.bjs

Xana disse...

Só os grandes não serão esquecidos mesmo que tenham sido uns grandes ditadores ou ladrões...nós os comuns um dia seremos esquecidos , sim! quando deixarmos de estar na lembrança daqueles que marcámos e nos amam...
para não me esqueceres, passei para te soprar uma beijoca :)

Antonio Paulo disse...

Existem momentos lugares e pessoas inesquecíveis. E até viver-se o sonho perfeito quantas desistências nos serviram de lições. Boa semana Sonia.

peagÁ! disse...

'de quantas desistencias é feito um sonho?'

a primeira seria do presente, do instante?!

*.*

Nilson Barcelli disse...

Este texto que vc escolheu é soberbo.
Obrigado pela partilha.
Um beijo, querida amiga.

Rosemari disse...

Um poema que tem uma bela reflexão.
Parabéns!

Alexandre disse...

Oi Sonia, finalmente sai da toca e vim retribuir as visitas dos amigos. E aqui neste seu espaço tenho a oportunidade de ficar com a alma mais 'doce' e menos rabugento rsrsrs. Maravilhoso o seu espaço e o conteúdo.
Um grande abraço,

Alexandre

Branca disse...

...Certos desejos só cabem na memória, qta verdade nessas palavras!


Sônia, que sua semana seja abençoada e cheia de alegrias...bjo.

Daniel Costa disse...

Sónia

A amizade, a fidelidade, o companherismo, a afinidade etc. são o ideal para um amor doradouro e sem sobressaltos. O poeta é um observador da vida, pelo que sabe definir todas essas cumplicidades que são a alma do binómio homem, versus mulher.
Daniel

Graça Pereira disse...

De quantas desistências é feito o sonho? Tantas,tantas que ás vezes, sabe a sangue! Os poemas que escolhe servem-me,muitas vezes de meditação: os "invisíveis" são os que estão mais presentes na minha vida.
Depois... as fotos do Eduardo,sempre tão lindas e convidativas. Não me canso de vir aqui e, quando isso não acontece, é porque não me sobrou tempo-Beijos Graça

Aníbal Raposo disse...

O poema é lindo. A imagem acompanha.

Beijos

Jaclo disse...

Sonia:
¡Qué bonito poema!
Saludos

Barbara disse...

De quantas desistências?
Lindo e real isso, seja nas questões românticas ou outras.
Talvez por isso sejamos feitos muito de água no corpo - prá que tenhamos a capacidade de adaptação ao que sobra ou ao que falta.

Jaime Cortizo disse...

Visible á luz do día, ás veces invisible pela noite escura que tamén de cando en vez ten unha lúa que alumea, así como as estrelas que choven como é o caso destes días, as bágoas de San Lourenzo.

Unha forte aperta!

Ricardo Calmon disse...

Um imenso jardim de púrpuras tulipas,blo oráculo seu é,nos acalanta,adoça,colore e musica!
Bzu mãos suas poeta linda miga nossa1
!

Viva Vida!
Tema esse da invisível pessoa,tese meinha foi,há alguns anos,os invisíveis profissionais da saúde,entre outras pessoas de invisibilidades portadoras!

Bzu mãos suas,poeta nossa!

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.