.

.

07 setembro 2009

Independência? Onde?


Estamos no Dia da Independência, já se passaram quase dois séculos que alguém montado num belo cavalo branco, gritou a beira do Ipiranga: independência ou morte. E desde então as pessoas se perguntam, o que mudou? Quem proclamou a independência já tinha poder, luxo, pessoas a servir. Ou seja, já era elite e continuou sendo elite, nada mudou.
Então vem a República, agora sim, agora nós poderíamos escolher quem governaria nossos destinos. Outra vez promessas, muitos se elegeram em nome do povo mas continuaram a manter a festa do poder. Vem a ditadura promovendo o silêncio, tanto que depois já cansados devolveram aos civis a Pátria mãe gentil. Nova esperança, viva a democracia...
Sucederam-se os políticos e até os trabalhadores chegaram ao poder, mas aliaram-se ao poder. A inflação não existe mais numa matemática muito estranha: se você empresta dinheiro ao banco ele te dá 0,5% de juros e correção monetária, mas quando é o banco que empresta os juros são de 10%, quando não mais.
O governo entregou à economia privada serviços que eram seus como luz, água, comunicação...ah, mas criou as agências reguladoras para representar o consumidor, mas que só regula a favor das empresas, enquanto o consumidor paga cada vez mais caro pelos serviços considerados essenciais.
Ainda tem a história do foro privilegiado, se um Zé Mané roubar uma galinha vai preso, mas para quem tem mensalão, dólares nas cuecas, superfaturamento, desvios de verbas para contas particulares, isso não...isso é outra questão.Criaram leis para absolvê-los, e com tanto dinheiro fácil não faltam advogados para sua defesa.
Ah... mas vieram as reformas políticas, tão fascinante é o poder que criaram a reeleição, porque em quatro anos não se consegue fazer muito. O que aconteceu? O eleito passa o primeiro mandado pensando no segundo, e não faz nada no segundo porque já está indo embora mesmo. Enquanto isso, criaram impostos que a saúde nunca viu, privatizaram as estradas porque não conseguiam cuidar, sugaram as empresas com impostos e mais impostos, daí o desemprego....bem, mas somos independentes, certo?

Sônia Schmorantz

"Povo que lavas no rio
Que talhas com o teu machado
As tábuas do meu caixão.
Pode haver quem te defenda
Quem compre o teu chão sagrado
Mas a tua vida não."

(Pedro Homem de Mello)

Imagem 1: Olhares aeiou
Imagem 2; Itapema Meia Praia, numa manhã de domingo

10 comentários:

direitinho disse...

Deste cantinho português envio um abraço de muita amizade ao povo nosso irmão no dia da sua independência. Desejo para todos uma verdadeira independência.
O seu texto é um grito de revolta igual a milhões de outros porque o poder se fez poder e o reto é paisagem, nada lhes interessa..
É no Brazil, Venezuela, Portugal e etc e tal.
Recordo um poema de Zeca Afonso:
=Eles comem tudo ...e não deixam nada..............=

Mundo Animal. disse...

(“)_(“).-“”’-.,/)
; ° ° ‘; - ., , ‘ )
(♥_, )’__,)’-._)


SONIA QUE TENGAS UNA SEMANA GENIAL
SALUDOS DE MUNDO ANIMAL Y
GRACIAS POR TU COMPAÑIA CHRISSS

Rosemildo Sales Furtado disse...

"Independência ou morte!" Independência não existe. Já mortes, é só o que se vê. Uns morrem de fome, outros morrem de desgosto em função dos desmandos e da falta de vergonha dessa corja de políticos indecentes.

Beijos,

Furtado.

Chris disse...

As independências formais que deixam dependências materiais...
Um beijo e uma excelente semana
Chris

Dora Regina disse...

Ainda falta muita coisa para nos tornarmos 100% independentes...
Um grande abraço e boa semana.

REGGINA MOON disse...

Querida Sônia,

Obrigada por seu comentário na postagem da nossa Independência, realmente, uma data polêmica, visto que somos um país ainda em fase de Libertação, repleto de problemas e subordinado a uma política capitalista desigual...mas creio que grandes passos serão dados com a chegada de novas gerações...

Somos movidos à Esperanças...

Um grande beijo e linda semana!

Reggina Moon

LILICO disse...

Valeu o puxão de orelhas e cá estou eu. Referente ao tema escrevi uma crônica - Independência ou Morte! A maior cagada da história. Seria uma boa oportunidade para te cobrar uma visita também...rsrssr. Bjs.

Bill Falcão disse...

Se somos independentes?
Bem, há controvérsias...
Bjoooooooo!!!!!!!

HumbleUker disse...

Sonia:

You have such beautiful photos on your blog and I like to keep your link on my blog because it reminds me to study my Brazilian Portuguese. I performed with my Uklectics Band recently and sang "Garota de Ipanema".

Jeff

RaSena disse...

olá, Sonia!
vim te visitar para dizer-lhe que este texto é bárbaro - é, assim que os brasileiros que tem facilidade de escrever deveriam usar as palavras.
porque - para o povo que é simplesmente povo - nada muda.
lindo findi de domingo.
carinhos....

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.