.

.

15 setembro 2009

Lya Luft



Não sou a areia
onde se desenha um par de asas
ou grades diante de uma janela.
Não sou apenas a pedra que rola
nas marés do mundo,
em cada praia renascendo outra.
Sou a orelha encostada na concha
da vida, sou construção e
desmoronamento,
servo e senhor, e sou
mistério
A quatro mãos escrevemos este roteiro
para o palco de meu tempo:
o meu destino e eu.
Nem sempre estamos afinados,
nem sempre nos levamos
a sério.

(Lya Luft)

22 comentários:

direitinho disse...

A poeta diz que não é areia nem pedra, mas eu penso que somos tudo isso e que somos ainda mais o que o tempo e as mudanças sociais nos fazem.
Existem dois mundos com que lutamos e só sairá vencedor aquele a quem damos mais força interior.
Beijinhos

EDUARDO POISL disse...

Hoje postou dois belos poemas com imagens lindas, parabéns amor.
Beijos meu amor.

Adolfo Payés disse...

Bello como siempre.. me gustan las imágenes que subes con tus poemas..

Un abrazo
Saludos fraternos.

sam rock disse...

Arena, mar y viento. Acaso no somos todo eso cuando nos sentimos vivos.

Un abrazo.

Maria Clarinda disse...

Mais uma partilha maravilhosa!!!
A foto está linda tbm!
jhs

Eduardo Aleixo disse...

Lindas as fotos e belíssimo o poema.
«....orelha encostada na concha
da vida, sou construção e
desmoronamento,
servo e senhor, e sou
um mistério...»
Só isto é um poema.
Magníficas palavras que leio neste sol desta manhã.
-----------------
Obrigado pelas suas palavras no meu post.
-----------------------
Beijo

a magia da noite disse...

por vezes alma e corpo são diversos mas vivendo um no outro.

Ni - Transbordando Palavras disse...

Adoro estar vir no seu cantinho. Sempre encontro belos escritos e lindíssimas fotos.

Tenha um lindo dia.
Beijinhos

Isaac Melo disse...

Oi Sônia,
um poema bonito!
O mar me encanta!

Um forte abraço e boa semana!

Norberto Marques disse...

Bom dia Sónia :)

Obrigado pelos bonitos poemas e pelas bonitas fotos que nos ajudam a sonhar.... Desejo-lhe um bom dia.

Abraço....Norberto

Alegria Joie Joy disse...

Bom dia, boa tarde ou boa noite.

Neste mundo dos blogs temos que procurar e peneirar o que há de bom e seu espaço e um dos bons momentos de descoberta, digamos que navegando achei tua ilha, adorei tudo as poesias, fotos. Arte e literatura são minha vida. A partir de hoje irei seguir teu blog caso me permita.
Até mais.

Renata Vasconcellos

Lídia Borges disse...

Bonito poema!

Obrigada pela partilha.

Stella Tavares disse...

Lindo poema! Lya Luft é um encanto com as palavras. Adorei o post e o comentário que deixou lá no manual.
Bjs

SAM disse...

Sônia, uma seleção de ouro nas suas postagens! Este da Lya é espetacular. Não conhecia ( ou lembrava) , assim como os demais. Adorei! Um presente. Obrigada. As fotos, lindas.

Beijos com carinho.

Bandys disse...

Sonia,
Que presentes que nos da hoje.
Lia e Quintana são simplesmente tudibão!
Amiga, tenho andado correndo e por isso mal tenho aparecido no meu blog rsss.

O seu é especial e sempre que der eu venho com um sorriso nos labios, ☺.

Beijos

Daniel Costa disse...

Sónia

Achei magnífico o poema de Lya Luft, mas deixa dizer, as foto são como, que outro belo poema. É recorrente, reparei talvez mais em pormenor, ou por mais sensibizado achei-as maravilhosas.
Daniel

Agulheta disse...

Sónia. Dois belos poemas que me encantaram,e lindas fotos de mar uma beleza.
Beijinho Lisa

Antonio Paulo disse...

Somos na verdade tudo isso pois com certeza já passamos por essa fase.Um abraço Sonia extensivos todos os teus.

Lobodomar disse...

Perfeita combinação entre o belo poema de Lya Luft e essas fotografias maravilhosas, que acabaram por conferir maior força ao poema.

Parabéns.

Grande abraço!

Solange Maia disse...

Sonia,

As vezes penso em como é bom a gente nem sempre se levar a sério....

Lindas imagens !!!

Beijo carinhoso

E.Rakowski disse...

Parabéns pelas escolhas..
ahh o que dizer das imagens?
uma mais linda que a outra!!!
Um PARAISO.



Beijos,
uma otima noite.

Rosemildo Sales Furtado disse...

...A quatro mãos escrevemos este roteiro para o palco do meu tempo:
o meu destino e eu.

Muito lindo Sônia, bela escolha. A paisagem também é linda.

Abraços,

Furtado.

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.