.

.

23 outubro 2009

A flor da tarde...



É mais fácil partir quando o silêncio
transpõe a tua voz.
Mais simples celebrar a tão efémera
certeza de estares vivo.

A música do ar esvai-se nas sombras,
tu sabes que é assim,
que os dias correm céleres, não tentes
perseguir o seu rasto – repara
como em abril as aves são felizes.

Sê como elas: não perguntes nada,
deixa que o sol responda à flor da tarde
e esquece-te do mundo.

Eco
Fernando Pinto do Amaral




Imagens: Sônia Schmorantz (flores da minha casa)

4 comentários:

SAM disse...

Boa noite, Sonia,

uma belíssima postagem: fotos e poema. Lindos!



Bom fim de semana. Beijos

R.Ferrari disse...

Lindas flores, belas fotos.

EDUARDO POISL disse...

Como sempre uma linda postagem, tuas fotos estão lindíssimas, teu blogger está lindíssimo.
Beijos te amo

louca esquizoffrenica disse...

repara
como em abril as aves são felizes.

Sê como elas: não perguntes nada,
deixa que o sol responda à flor da tarde
e esquece-te do mundo.
A musica nas tuas palavras hoje sónia é quase se ouvisse uma canção, lindo adorei as imagens das flores, lindo fim de semana desde este lado do oceano.

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.