.

.

22 outubro 2009

José Agostinho Baptista & Orlando Neves



Olhei quase sempre para o chão.
E aquela estrela que parava no sul, descia de
repente e caía aos nossos pés.
Recolhi-a,
ano após ano,
e com o resto da sua luz quis iluminar o
teu caminho.
Mas tu não viste as suas lágrimas que eram
as minhas,
apagando a última, sobre o chão.

José Agostinho Baptista, Biografia



Se não é viva,
nem sequer solene,
nem ao menos intacta,
se não é exata,
nem sequer perene,
nem ao menos cativa,
porque emerge,
táctil e lisa,
uma tão clara
música,
na treva dúbia
onde me ferem
e querem?

Orlando Neves


Imagens: Gabriel Roitman, Luiz Gamero e Eduardo Poisl

13 comentários:

Rosemildo Sales Furtado disse...

Olá Sônia! Como sempre, presenteando-nos com os frutos de tuas hábeis e precisas seleções. Parabéns!

Apeoveito para agradecer as visita e os comentários no nosso humilde espaço. Espero que voltes sempre.

Beijos para toda família.

Furtado.

Meire Jorge disse...

Belíssima imagem do sol por detrás das nuvens...bj

Adolfo Payés disse...

Siempre disfruto de los poemas que nos entregas y de estas imágenes preciosas..


Un abrazo
Con mis Saludos fraternos de siempre..

Que disfrutes de un buen fin de semana..

sam rock disse...

Que sorte ter esse céu para mirá-lo e quando um se cansa de vê-lo, que sorte ter esse areal para buscar com a mirada o descanso de tanto deslumbramento.

Uma abraço e bom fim-de-semana

louca esquizoffrenica disse...

Se não é viva,
nem sequer solene,
nem ao menos intacta,
se não é exata,
nem sequer perene,
nem ao menos cativa,
porque emerge,
táctil e lisa,
uma tão clara
música,
na treva dúbia
onde me ferem
e querem?

Orlando Neves a querer tirar-me algumas palavras da boca hoje, optima escolha e sobretudo lindas imagens como sempre, beijo e abraço do outro lado do oceano

(Carlos Soares) disse...

Tudo belo por aqui. Textos e imagens. Desejo ótimo final de semana

a magia da noite disse...

apagar a luz das estrelas é fechar a porta do sonho.

Chica disse...

Liondo poema e imagens complementando o quadro.maravilha!beijos,tudo de bom,chica

Pelos caminhos da vida. disse...

Bom dia!

Sorriso nos lábios, sempre podemos ter,mas para nossa alma sorrir, precisamos estar felizes...
Aquela felicidade que cria raízes, que nos faz desejar o que está por vir...que nos dá alegria de viver...
Temos alegria interior...
Vontade de correr e gritar.
A felicidade não podemos esconder.
É um real reviver...
Só pensamos em beijar...amar
É algo que desejamos, seja como for...
Assim é a felicidade ...
Que nos deixa com os lábios e a alma a sorrir.

Fim de semana de luz.

beijooo.

Arantza G. disse...

Un gozo pasear por la poesía.
Feliz fin de semana
Besos

Manu disse...

Olá Sonia!

Para curar a ferida que dói
junta-se o poema às imagens
que belo quadro se constrói
palavras são as legendagens

Neste espaço eu sempre encontro complementaridade entre os textos e as imagens. Bom fim de semana. Beijos

Norberto Marques disse...

Amiga Sónia, passei aqui pelo o seu canto para lhe desejar um bom fim de semana e deixar-lhe o meu abraço.

Tudo de bom, minha amiga.

Norberto

Fernanda disse...

Olá Sónia,

Sempre lindos os seus poemas e belas imagens.
Parabéns
Bfs.
Beijos

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.