.

.

31 outubro 2009

SONHO INFINITO



Eu poderia ter sido o vento
Ou ter tocado sua alma,
Poderia ter vindo de dentro
Pra te bulir, te fazer reagir,
Poderia, talvez,
Ter amado mais,
Se amar mais fosse possível.
Poderia ter sido o anjo esperado
Ou o amor manhoso
Que te tirasse dessa inércia,
Desse estado doloroso.
Mas sendo eu uma brisa,
Tão longe,
Sem as asas de um anjo,
O que me sobra é o amor,
Que, astucioso,
Cheio de artimanhas,
Possa talvez te devolver
O sol de uma nova manhã.

Letícia Thompson



6 comentários:

Meire Jorge disse...

...o sol sempre reaparecerá,
enchendo a vida de amor e inspiração...devolvendo os sorrisos tímidos que se escondem atrás dos lábios....Bom domingo! bjs

Layara disse...

Guria Linda...adoro tua sensibilidade de escolhas...

Beijoka e otimo feriado!

Osvaldo disse...

Sônia;

Provávelmente, nada tem mais influência nos poetas, que o mar e o vento. São cetamente mistérios indecifráveis, mas a força da água e a ligeireza do vento, sempre atraiu a mente pética dos escritores a poetizarem frases que para os outros não passariam de frases banais.

Lindo poema, de sensibilidade profunda.

bjs, Sônia.
Osvaldo

Luísa disse...

Eu poderia dizer algo, mas estragaria o encanto destas águas e deste vento que sopra na ilha...
Beijinho terno

louca esquizoffrenica disse...

Bom Dia sonia sua escolha hoje me encheu de esperança Linda ilha como sempre beijo desde o outro lado do oceano

Manu disse...

Olá Sonia!

Deixo o vento abraçar
suavemente minha pele
sinto nos lábios o doce
dos seus beijos de mel

E este tempo que escasseia e não me deixa usufruir deste espaço encantado onde os meus olhos se perdem e a alma vagueia. Beijos

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.