.

.

14 dezembro 2009

Pássaro de água doce



Nos dias distantes, quando cada dia era mais longo
O medo caiu sobre mim e o medo foi forte
Antes que eu tivesse aprendido a recompensa da canção
Nos dias escuros tremi (sabia!) de sorte
Os perigos, perplexidade - o que posso encontrar?
O arco-íris no seu céu de sonho
E na noite, muitas estrelas a fascinar
Coisas escuras inalteradas na luz de dia
Como se de noite de luar fosse
Mar de estrelas como um lago onde amei na chuva doce

Um dia lá vi um pássaro, um tordo negro elegante
Sabia onde ele andou, tal como ele sabia de cor
Silencioso, ele foi, e ainda pareceu cantar
Canções de crianças e Primaveras de amor

Era um pássaro das águas doces que eu conhecia
Foi profundo e doce como uma canção
Que veio da névoa da manhã tardia
Não posso imaginar - a que distância, ele voou em vão
Pois sei que voltará às minhas águas doces
Numa tarde de Verão ...

Raul Cordeiro




As imagens são do pássaro João de Barro, que tem morada no páteo da empresa, está acostumado às pessoas e parece gostar de posar para as fotos!

22 comentários:

José Carlos Brandão disse...

Gostei das lindas fotos, Sônia, e do sensível poema.
Um abraço, boa semana.

Mundo Animal. disse...

...(.)""(.)...Que Dios inunde tu alma
...( ’o’, )...de paz yamor para que no
...(),*,.().. guardes ningúnrencor y vivas con
...(_)-(_)...alegria cada día de tú existir....felices fiestas.

BUENAS NOCHES QUE TENGAS UNA SEMANA GENIAL ABRAZOS DE TU AMIGO CHRISSSSS

Adolfo Payés disse...

Un gusto pasar a Leerte
gracias por compartirlos.


Te dejo mis
Saludos fraternos de siempre..
Un abrazo

Laurita disse...

Olá Sónia lindo poema para imagens maravilhosas. Beijócas e boa semaninha.

poetaeusou . . . disse...

*
sublime post
,
no tordo negro,
o segredo
da liberdade . . .
,
conchinhas, deixo,
,
*

Déia disse...

kkkkkkkkkkk que fofura!!

Pássaro modelo e manequim rsrsrs
Essa é nova kkkk

Amei!

bj

Ana Cristina Cattete Quevedo disse...

Mas que gracinha!!!
Adorei!

Beijo!

Mª Dolores Marques disse...

Precisva vir aqui respirar e fortalecer-me neste frio que me congela os movimentos.

Um Feliz Natal

Beijos


Dolores Marques

Vitor Chuva disse...

Olá Sonia!

É bonito o poema, a paisagem, mais esse pássaro que encaixa bem no mesmo, e adora ser fografado - e a quem parece não faltar jeito para tal ...

Um abraço.
Vitor Chuva

Unseen Rajasthan disse...

Beautiful Shots !! This is a great post !!Unseen Rajasthan

João52 disse...

Adorei o sensivel poema que escolheu, as fotos estão lindas...

Saudações poéticas

Betty disse...

siempre muy bellas imagenes y mejores versos, en tu página, un beso

HELENA AFONSO disse...

LINDO POEMA os pássaros são mensageiros de ternura e amor........sabem cantar e alegram-nos com o seu canto,
são frágeis, mas tambérm uma força da natureza,
são fugidios, mas doces,
se eu pudesse mudar,
eu gostava de ser um pássaro!
HELENA

Wanderley Elian Lima disse...

Não sei quem é mais lindo, se o joão de barro ou a casinha que ele constrói. Uma coisa eu sei o poema é linda.
Abração

RETIRO do ÉDEN disse...

Lindo, imagens e palavras.
Obga.
Mer

G I L B E R T O disse...

Sonia

Poema e fotos perfeitos, sincronia impecável!

Tua sensibilidade continua a mesma - mágica!

Norberto Marques disse...

Oi Sónia :)

Passei para dizer "olá", e deixar o meu abraço.Continuação de boa semana.

Tudo de bom


Norberto

Graça Pereira disse...

Nos dias distantes, quando cada dia era mais longo... veio um pássaro e ficou! Ficou, porque fêz um longo caminho, para encontrar seu ninho!
Quem não gostaria de ficar por aí?
Um beijo
Graça

Nilson Barcelli disse...

O pássaro é fotogénico...
O poema é bonito.
Querida amiga, um beijo.

Maria João disse...

Sonia

Tranquilo e doce este poema, como o voar de um pássaro.
As fotos, muito bonitas, sempre.

Um beijinho

Sonhadora disse...

Sonia
Lindissimo poema...muito ternurento.
Belas fotografias.
Beijinhos

Sereia disse...

Lindo amiga...
Uma linda noite.
Bjssssssss

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.