.

.

13 janeiro 2010

Haiti

Hoy no sueño, no sueño, aquí está el sueño
en pequeños ciclones de gargantas;
encerrada la tierra en amuletos;
el trueno detenido en los tambores.

Buscando el cielo oculto de su culto
sube Haití por los pies hasta su grito.
Aquí está el sueño, se me pone grande
un mapa que me ronca y que me asalta;
aquí esta Haití metido en unos dientes,
aquí está Haití que se derrite en ritos,
aquí está, retorcido, de repente,
con golpes de mar seco y de azabache
Haití tiembla en un vientre.

Hoy no sueño, no sueño, aquí está el sueño
sudoroso y espeso, aquí esta el sueño
desnudo y pegajoso y poco ausente,
sueño de objeto oscuro y caso rojo.

Aquí está Haití metido en una hembra:
en una llama negra.

Manuel del Cabral



Que nos digam a onde
Esconderam as flores
Que perfumaram as ruas onde,
Onde se foram ?
Ainda cantamos
Ainda pedimos
Ainda sonhamos
Ainda esperamos...

Mercedes Soza

24 comentários:

Sônia Brandão disse...

Pobre Haiti, pobre povo! Que sonhos poderá essa gente ainda sonhar?

bjs

EDUARDO POISL disse...

Não ame pela beleza, pois um dia ela acaba.
Não ame por admiração,
pois um dia você se decepciona.
Ame apenas, pois o tempo nunca pode acabar com um amor sem explicação.
Madre Teresa de Calcutá

Desejo uma linda semana com muito amor e carinho.
Beijos te amo

Serena Flor disse...

Povo sofrido este não?
O mundo todo está chocado com toda esta trajédia.
Passando pra deixar o meu carinho minha amiga...bjs!

José Carlos Mendes Brandão disse...

DEPOIS DO TERREMOTO NO HAITI

É o fim do mundo, grita a haitiana.
A terra tremeu,
o fogo queimou,
as casas caíram,
vítimas sangram no meio da rua.

Um soterrado pede ajuda,
uma mão sai de uma parede,
uma cabeça sobre uma pedra.
Corpos, corpos, corpos.

Ainda está balançando,
eu não posso ficar neste lugar,
preciso de ajuda – ouçam os gritos.

Zilda Arns morreu numa igreja.
Um menino olha para o céu.

Deus não vê a dor dos homens,
eu sofro, eu cego Deus.

Meu abraço solidário, Sônia.

direitinho disse...

Parece que não há palavras que curem o sofrimento do povo do Haiti.
Não há culpas politicas nem outras que gostamos de encontrar.
É tempo para socorrer com tudo quanto pudermos.
É tempo para pensar como somos infinitamente pequeninos neste universo.
Que nos acontecerá amanhã....?

Chica disse...

Lindo poema, tanta tristeza por lá que nos atinge aqui! beijos,chica

Adolfo Payés disse...

Unos versos muy sentidos por el pueblo hermano de Haiti..
que lujo leerte siempre..


Un abrazo
Saludos fraternos..

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Amiga.

A dor de cada ser humano, deveria ser a dor de toda a humanidade.
Se somos capazes de sentí=la, conservamos ainda o nosso coração vivo, e a esperança será capaz de florescer.

Fica em paz

Arantza G. disse...

Qué pena, la tragedia se arrima siempre al lado de los más desfavorecidos.
Que dolor, por Dios!
Un beso, cuídate mucho.

Susaninha disse...

UM POEMA,QUE CHEGA AO CORAÇÃO....
E QUE DOR AO MESMO TEMPO...

a magia da noite disse...

nos momentos em que as catástrofes naturais assolam a humanidade devemos questionar-nos sobre todos os cataclismos que temos causado à natureza.

que o Criador tenha piedade das suas criaturas.

Sandra Botelho disse...

Nossa que tristeza...
Acordei varias vezes a noite, e todas as vezes pedi a Deus que ajude aquelas pessoas, nem soube dizer como, mas Deus certamente sabe.
E a nós so nos resta orar por eles.
Bjos querida.

Sandra Botelho disse...

Nossa que tristeza...
Acordei varias vezes a noite, e todas as vezes pedi a Deus que ajude aquelas pessoas, nem soube dizer como, mas Deus certamente sabe.
E a nós so nos resta orar por eles.
Bjos querida.

tossan disse...

Haiti com níveis de vida abaixo da linha de pobreza, ... Até parece que, quando há uma desgraça, uma outra maior e mais intensa entra na fila rápida. Eu me pergunto Por que?! E eles é que sofrem. Cadê o meu Deus? Por favor ajude-os.
A foto é linda! Adoro o pôr e nascer do sol. Beijo

A.R.O. disse...

Hoy todos estamos con Haití. Me ha gustado mucho el poema de Manuel de Cabral. No lo conocía. Ojalá esta tragedia sirva para que el mundo sea más solidario siempre con estos países.

REGGINA MOON disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
REGGINA MOON disse...

Sônia,

Realmente vejo o mundo inteiro se mobilizando para uma corrente de orações e solidariedade por esse povo já tão sofrido...

Um beijo!!!

Reggina Moon

Dois Rios disse...

Sonia, dizem que é da tristeza que brotam os mais belos versos. Manuel del Cabral e Mecedes Soza que o digam.

"Haiti tiembla en un vientre".

Consternação foi a palavra que eu encontrei para expressar o meu pesar.

Beijos,
Inês

Fernanda disse...

Amiga Sónia,

Nada fará voltar a paz e tranquilidade aquele país tão cedo.
As imagens que passam são devastadores, cruéis e dolorosas. Quanto sofrimento... doí até à medula.

Obrigada pelo poema. É preciso sim sonhar e ter esperança.
Já há em todo o Mundo linhas para ajuda.
Façamos todo algo por este povo massacrado.

Beijinhos,

Agulheta disse...

Querida amiga.Que direi mais uma tragédia e muito sofrimento para um povo que já tinha tão pouco!O poema onde devemos ter a tal esperança sempre.
Beijinho no seu coração Lisa

Daniel Costa disse...

Sónia

Um belo poema, ou seria belo, se o lamento não tivesses razão de existir, Se fosse, como direi? Uma metáfora.
Daniel

Mariazita disse...

Um povo tão sofrido, tão miserável, com tantos anos de ditaduras sucessivas, deveria ser poupado pela Mãe Natureza.
Mas os designíos do Alto não são para ser entendidos, apenas aceites.
Felizmente está a haver grande solidariedade a nível mundial, para minorar um pouco tanto sofrimento.

Boa noite.

Beijinhos
Mariazita

mundo azul disse...

_________________________________


Um momento triste, que torna ainda mais triste um povo já tão sofrido...

Muito lindo o poema!


Beijos de luz e o meu carinho!!!

____________________________________

Juliana Paez disse...

A tristeza para o poeta, assim como o amor, é sempre uma inspiração.

Lindas suas palavras!!!

Que o mundo faça pelo Haiti!!

Bjos da JU

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.