.

.

16 janeiro 2010

Pelo retrovisor



Pelo retrovisor enxergamos tudo ao contrário
Letras, lados, lestes
O relógio de pulso pula de uma mão para outra e na verdade nada muda
A criança que me pediu dez centavos é um homem de idade no meu retrovisor
A menina debruçando favores toda suja
É mãe de filhos que não conhece
Vendeu-os por açúcar
Prendas de quermesse
A placa do carro da frente se inverte quando passo por ele
E nesse tráfego acelero o que posso
Acho que não ultrapasso e quando o faço nem noto
O farol fecha…
Outras flores e carros surgem em meu retrovisor
Retrovisor é passado
É de vez em quando do meu lado
Nunca é na frente
É o segundo mais tarde, próximo, seguinte
É o que passou e muitas vezes ninguém viu
Retrovisor nos mostra o que ficou; o que partiu
O que agora só ficou no pensamento
Retrovisor é mesmice em dia de trânsito lento
Retrovisor mostra meus olhos com lembranças mal resolvidas
Mostra as ruas que escolhi, calçadas e avenidas
Deixa explícito que se vou pra frente
Coisas ficam para trás
A gente só nunca sabe que coisas são essas...

Fernando Anitelli (O Teatro Mágico)




As imagens são para comparar o dia chuvoso deste sábado, com a beleza do sol na quinta-feira. Há comparação?

17 comentários:

REGGINA MOON disse...

Sônia querida,


Lindo texto, imagem e tudo por aqui como sempre!!!Vir aqui é sempre certeza de se encantar....

Um bom Domingo,

Beijos!

Reggina Moon

MARIA L. BÓZOLI disse...

Tudo lindo na ilha encantada.

Muita paz neste Domingo querida!

Beijos M@ria

Manu disse...

Olá Sonia!

O retrovisor é nosso passado
bem verdadeira é essa imagem
o presente está ao nosso lado
o futuro é prosseguir viagem

Bom Domingo. Beijos

AROBOS disse...

Un fuerte contraste. Me encantan las imágenes que cada día nos pones. Invitan a visitar tu tierra. Saludos.

Ana Cristina Cattete Quevedo disse...

As imagens que se formam conforme a leitura do poema...Adorei!
Beijo, Sonia!

Betty disse...

Es cierto lo que dice Arobos, tus imagenes insitan a visitar tu bello Florianopolis. Y los versos publicados un regalo para el alma.
Besos

Adolfo Payés disse...

Maravillosos versos.. y las fotos excelentes..

Un abrazo
Saludos fraternos...

Isa disse...

Ñ minha querida Sônia,ñ há comparação!
Votos de Feliz Semana!
Beijo.
isa.

Silvana Nunes .'. disse...

Linda poesia, a imagem nem se fala. Muito bela.
Aliás Floripa é tudo de bom. Vou tentar chegar até o seu outro link. A minha internet hoje está cavernosa.
Beijo

Everson Russo disse...

Uma bela semana pra ti amiga...beijos na alma.

Dois Rios disse...

De fato a vida é um estar sempre seguindo em frente com olhos no retrovisor. Ao mesmo tempo em que vamos deixando as coisas para trás, elas permanecer na nossa memória.

Floripa é bela com chuva ou com sol.

Beijos, Sonia!
Inês

A.S. disse...

Sónia...

Imagens fabulosas e palavras que nos enchem de emoção...


Beijos
AL

Maysha disse...

Sónia lindo poema o que acompanha as imagens.

Tenho um selo para ti no meu blog.

Tem um bom domingo, beijos de luz
Isa

Pelos caminhos da vida. disse...

Eu Desejo...

Que a felicidade não dependa do tempo,
nem da paisagem, nem da sorte, nem do dinheiro.

Que ela possa vir com toda a simplicidade,
de dentro para fora, de cada um para todos.

Que as pessoas saibam falar, calar,
e acima de tudo ouvir.

Que tenham amor ou então sintam falta de não tê-lo.

Que tenham ideal e medo de perdê-lo.

Que amem ao próximo e respeitem sua dor,
para que tenhamos certeza de que viver vale a pena.

(texto da net).

Uma boa semana pra vc Sonia.

beijooo.

Wanderley Elian Lima disse...

Lindo e original poema.
Bjs

João Menéres disse...

SÓNIA

E tu podes imaginar o que é ter o dia chuvoso que tiveste só este sábado há mais de dois meses?

Adorei o texto do Fernando Anitelli.

Um beijo.

Sonhadora disse...

Minha querida Sonia
Muito belo o poema e as fotografias.

beijinhos
Sonhadora

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.