.

.

17 janeiro 2010

Por favor, não me filtrem as nuvens





Por favor não me filtrem as nuvens,
Que eu quero passear à chuva
Atravessar a tempestade cantando!
Por favor não levem
As tempestades para vossas casas!
Deixem-me ao menos louco,
Despido de preconceitos abstractos,
Com meu corpo molhado,
Sem trapos,
A minha face lambida de água pura.
Olhem meus cabelos molhados,
Pingando ao som da chuva.
E esta denúncia de homem…
Encolhida num cacho de uva.
Por favor não me filtrem as nuvens!
Deixem-me agora só com a chuva!
Como um amante febril
Percorrendo de beijos
O ermo da sua loucura,
Como o quente da água pura
Que escorre do meu corpo
Vaporizando liberdade.

Rogério Martins Simões
3/03/1979




O dia de hoje foi de grossas nuvens e muita chuva, mas...ao entardecer, o sol dá novo colorido ao céu. Que tempo....

16 comentários:

Osvaldo disse...

Sônia;

São as maravilhas da natureza. Ela, a natureza, é fascinante por estas mudanças instantâneas de tempo e de cor. Não é só o Sol que tem brilho, porque é a chuva que faz com que a natureza tenha cor!...
Por isso, este poema do Rogério foi feito para as surpresas de todos os instantes.

bjs,
Osvaldo

direitinho disse...

Este poema é uma pérola de sensualidade e sonho, com uma construção crescente de "desejo febri....ermo da loucura...água quente vaporizando...",

Unseen Rajasthan disse...

Beautiful and lovely shot !! This is so fantastic !!

tossan disse...

Muito bonito o poema e também a ameaça das chuvas com o arrebol no céu da Ilha da Saudade. Boas fotos...Diferentes! Beijo

a magia da noite disse...

a chuva também ajuda a lavar a alma.

Ana Cristina Cattete Quevedo disse...

Lindo poema.

A foto do céu cor de rosa ficou um sonho, adorei!

Beijo!

Vitor Chuva disse...

Olá Sonia!
Bonito poema.
Não só nos dias soalheiros é possível descobrir beleza, e encontrar prazer, mas também nas muvens carregadas do céu, e da água que delas escorre. A água, afinal, é vista há milénios como fonte de purificação não só do corpo mas também do espírito, venha ela do céu ou correndo pelos rios.
Um abraço.
Vitor

Olhar o mar disse...

Olá,

Um belo poema de uma melodia e sentimento que nos preenche

uma boa semana
olharomar

Agulheta disse...

Amiga Sónia. A natureza tem destas coisas,por aqui a chuva tem sido muita,mas também tema nostalgia do inverno,que sempre esperamos pelo chegar da primavera,as fotos todas elas magníficas.
Beijinho Lisa

Rosemildo Sales Furtado disse...

Olá Sônia! Confesso que não conhecia o Rogério Martins, mas, pelo belo poema que acabo de ler, trata-se de um grande poeta. Mais uma vez acertaste na escolha.

Abraços,

Furtado.

Jaclo disse...

..."Quero silêncio depois do vento..."
¡Qué bonito! Sonia.
Saludos

Efigênia Coutinho disse...

Sonia, eu adoro vim aqui e sentir o teu SORRISO, que beleza.
Estes versos do nosso poeta Rogério, foi o primeiro que editei na AVSPE, fiquei maravilhada.
Saudosamente,
Efigênia Coutinho

Laurita disse...

Olá Sónia, lindo poema acompanhado de lindas imagens. beijos

Juliana Paez disse...

O que mais me encanta em visitá-la amiga é ver como você mescla fotos tão belas com palavras tão reais e verdadeiras.

É mágico!!!

Amo esse Blog!!!

Bjokas da JU

Dora Regina disse...

Você nos ilumina com essas delicias...
Parabéns pela escolha da poesia!
Abraços.

RETIRO do ÉDEN disse...

Fotos sensacionais,
Uma beleza.
Abraço
Mer

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.