.

.

30 janeiro 2010

Sons Noturnos



As rodas rangem na curva dos trilhos
Inexoravelmente.
Mas eu salvei do meu naufrágio
Os elementos mais cotidianos.
O meu quarto resume o passado em todas as casas que habitei.

Dentro da noite
No cerne duro da cidade
Me sinto protegido.
Do jardim do convento
Vem o pio da coruja.
Doce como um arrulho de pomba.
Sei que amanhã quando acordar
Ouvirei o martelo do ferreiro
Bater corajoso o seu cântico de certezas.

Manuel Bandeira




Imagem 1: A coruja é uma linda vizinha, que está sempre por perto à noite quando volto do trabalho, máquina na bolsa não resisto e logo mais uma foto! As demais são aquelas imagens de beira de estrada que tanto gosto. Clique nas imagens para vê-las em tamanho maior.

26 comentários:

RosanAzul disse...

Olá Sônia! Como vai?
Primeiro gostaria de agradecer teu carinho de sempre no meu blog e dizer-te que tive problemas com meu pc. Portanto minha ausência foi involuntária.
Mas agora está tudo resolvido!! ... Estou de volta com um pc novo! rsrs e aos poucos colocando tudo em dia!
Parabéns pela postagem, está linda!
Um grande abraço e um bom domingo!
Ro

REGGINA MOON disse...

Sônia,

Que maravilha!!Que linda essa postagem...fico imaginando como seria eu voltar do trabalho e ter uma imagem dessa pela frente...um sonho!Obrigada por compartilhar!!

Lindo demais!

Grande beijo e ótimo Domingo!!

Reggina Moon

Luísa Ataíde disse...

SONIA, Além dos olhos as imagens. Parabéns, tudo por aqui é feito com amor.
Abçs, luisa

César Ramos disse...

Foi muito bom ter descoberto o seu blog de poesia maravilha. Sou irmão desta ave - coruja -, pois estou sempre escrevinhando até bastante tarde!

Vou adorar 'atravessar' o Oceano para acompanhar a música das suas letras que me encantam...

Vejo que também aderiu ao !BOHéRASE AUTORES!É muito engraçado escrever naquele blog; ainda apenas postei três vezes! Mas acho que vou ganhar mais prática e ser mais assíduo.

Gostava de ficar aqui falando o resto da noite, mas preciso de ir descansar um pouco.
Aqui em portugal, neste momento já são 4 da manhã...!!

Um bom Domingo para si, e obrigado por tudo o que escreve!
Até sempre...

César Ramos

Sônia Silvino disse...

Soninha, minha xará!
Momento de relaxamento e encantamento ao vir aqui!
Bjkas!

Ilaine disse...

Oi, Soninha!
Obrigada por me visitar, fiquei muito feliz.

Ah, adorei sua vizinha. As fotos são todas muito boas. Aqui tudo continua lindo.
Beijo

Arantza G. disse...

Un gran beso y mil gracias por la compañía siempre atenta.
Las fotos son preciosas igual que los versos que recorren cada línea.

Pena disse...

Linda e Simpática Poetiza Amiga:
"...Me sinto protegido.
Do jardim do convento
Vem o pio da coruja.
Doce como um arrulho de pomba.
Sei que amanhã quando acordar
Ouvirei o martelo do ferreiro
Bater corajoso o seu cântico de certezas..."

Tem um bom gosto assinalável e digno de registo numa sensível e doce poetiza de sonho.
Simplesmente, lindo poema.
De encantar e fascinar. Repleto de beleza.
Adorei, com sinceridade.
Beijinhos de pura amizade e respeito.
Sempre a lê-la com atenção pelo seu preciosismo do seu encanto.

pena

Bem-Haja, pela sua simpática visita no meu blogue que gostei muito.
MUITO OBRIGADO, majestosa e perfeita amiga.

Pelos caminhos da vida. disse...

A melhor alegria da vida é saber que nunca estamos sós, que a cada momento renascemos para a vida e em cada renascer brota alegria de saber existem pessoas como você.

Obrigada pelo seu carinho.

Feliz Domingo.

beijooo.

Karina Aldrighis disse...

Adorei a Coruja, lindo! Parabéns! Beijos

Everson Russo disse...

Adoro esses sons noturnos,,,na realidade nunca estamos totalmente sós...nem que seja com o silencio estamos,,,belissima a imagem da coruja...um beijo e uma otima semana pra ti.

Mahria disse...

Quisera eu ouvir em cada amanhecer, corajosos cânticos de certezas.

Bjs querida
Mah

Raquel Marques disse...

Hello Sonia. Que Zoião heim? rs. Muito show essa imagem. Fiquei ausente por uns tempos, mas é muito bom voltar.

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Sonia
No silêncio da noite os sons tomam proporções imensas e um simples cantar de grilo parece uma orquestra, até a coruja acorda para ouvi-los.
Uma linda semana para você
Um abraço

Manu disse...

Olá Sonia!

Na noite ecoa o som da coruja
máquina em riste, uma fotografia
antes que a noturna ave fuja
e a imagem na foto fique vazia

Bom Domingo. Beijos.

SAM disse...

Sonia,


que linda a corujinha! Adorei rsrs. E Manuel Bandeira, o grande mestre. Maravilha!


Bom início de semana! Beijo

Tentativas Poemáticas disse...

Cara amiga Sónia

Vim até ao seu lindo blogue espreitar as gaivotas. Vou confessar-lhe um segredo: Nos meus passeios à beira Douro, na Foz (Porto) acompanhado pela Isabelinha, existem muitas gaivotas. Estas aves encantadoras fazem-me recordar...
Beijinho
António

Isaac Melo disse...

Querida Sônia,
gosto bastante de Bandeira, um poeta exímio!

Um grande abraço!

A.S. disse...

Sónia,

Adorei essa coruja linda! O poema e as imagens também...

Vitor Chuva disse...

Olá Sonia!

O poema é simples e bonito, falando das certezas que acontecimentos simples e repetidos nos transmitem: ao piar da coruja vai seguir-se o cantar da forja do ferreiro, e a chegada dum novo dia.
E essa coruja bonita, de olho bem vivo, encaixa aqui que nem uma luva!

Um abraço.
Vitor

Luísa N. disse...

Pedaços de paraíso, Sônia, são as imagens que nos mostras! E os poemas? Belos como as fotos!
Um grande abraço!
Luísa

Jaclo disse...

Acaba de marchar enero. Llega el nuevo mes y tu blog, Sonia, cada vez es más interesante; más bonitas las fotografías y más gratos los pemas que transcribes. Gracias por compartir tanta belleza.
Saludos

Maria João disse...

Um dia é diferente do outro.
Basta que usemos os olhos do
coração para diferenciá-los.
Que hoje você só consiga ver
e perceber as coisas
lindas que a vida pode lhe oferecer.
Veja, sinta e participe desta linda ciranda,
chamada vida. Um beijo!

Sofá Amarelo disse...

Adoro os sons nocturnos porque eles são mais genuínos, são mais cristalinos e é quando os cânticos são sempre de certezas...

More Than Words disse...

É sempre bom passar pelo Teu cantinho e respirar ar puro,
um beijinho miga,
T!na

César Ramos disse...

Sonia,

Eis-me de novo aqui, pela militâcia de a ler e, também, agradecer a sua visita ao blog Alfobre, onde me convidou a ir até à sua ILHA da MAGIA!

Encanto de imagens, e de tudo! Diga-me a receita onde vai buscar tanto talento.
Parabéns.
Quis lá deixar uma mensagem, mas não o soube fazer; por isso 'falo' aqui.

Obrigado e cumprimentos

César Ramos

http://alfobre.blogspot.com
cesar.st.ramos@gmail.com

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.