.

.

16 março 2010

ASSOMBROS



Às vezes, pequenos grandes terremotos
ocorrem do lado esquerdo do meu peito.

Fora, não se dão conta os desatentos.

Entre a aorta e a omoplata rolam
alquebrados sentimentos.

Entre as vértebras e as costelas
há vários esmagamentos.

Os mais íntimos
já me viram remexendo escombros.
Em mim há algo imóvel e soterrado
em permanente assombro.

Affonso Romano de Sant'Anna (Lado Esquerdo do Meu Peito)




No ILHA DA MAGIA: Pinheiros

15 comentários:

Nanda Assis disse...

esses lugares são lindissimos.

bjosss...

Sonhadora disse...

Sonia
Lindo poema e as imagens são lindas.

Beijinho
Sonhadora

SolBarreto disse...

Um dos mais lindo poemas que ja vi por aqui...Ou será que é porque no exato momento terremotos ocorrem no meu...

Ianê Mello disse...

Brilhante esse poema de Affonso Romano de Santana.
Bela escolha.
As fotos estão lindas.

Agradeço as visitas aos Diálogos Poéticos.

Bjs

direitinho disse...

Muito belo este poema. Obras que marcam as músicas de cada dia.

Wanderley Elian Lima disse...

Quando o lado
esquerdo do
peito sente
um tremor,
com toda certeza
é porque
chegou o
amor.

Um abraço

Chica disse...

Muito lindo,.Sonia!beijos e um dia muito legal por aí!chica ( tu estás de Bombinhas???)Minha filha, marido e neto estão aí)

Vitor Chuva disse...

Olá Sonia!

Cheio de criatividade, e muito bonito: Sentimentos e anatomia intimamente ligados - mais o coração, esse lugar onde supostamente moram todos os nossos sentidos.

Um abraço.
Vitor

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Vim deixar um abração nesse blog simpático de belos poemas e imagens

Cleo disse...

Acho maravilhoso este poema do Assombro. bela escolha.

estou em pausa mas vim te deixar um beijo e abraços com carinho e até a volta.
Cleo

lupussignatus disse...

abalo

dos

sentidos


[telúrico
sangue]



*abraço*

Dois Rios disse...

Sonia,

Esse poema do ARS é uma autêntica radiografia do amor. Assim é. Não existe amor sem "terremotos".

Bjs,
Inês

Ivana Marisa Altafin disse...

Só quem entrega para a vida e para o amor, sabe o que se passa do lado esquerdo do peito. Lindo poema!

Caurosa disse...

Olá minha cara amiga Sônia, lindo, lindo, a simplicidade está sempre no coração do poeta, escolheste um mestre, parabéns.

Paz e harmonia em sua vida,

forte abraço

C@urosa

Helena Castelli disse...

Antes ter terremotos no peito do que um tique-taque fraquinho... rs rs... Isso é sinal de vida, de paixão. E dos escombros sempre podemos construir algo novo e mais forte.

Beijo grande, tipo 6 graus na escala Richter... rs rs
Helena

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.