.

.

13 março 2010

Dormir um Pouco...



Dormir um pouco — um minuto, 
um século. Acordar 
na crista 
duma onda, ser 
o lastro de espuma 
que há no sono 
das algas. Ou 
ser apenas 
a maré, que sempre 
volta 
para dizer: eu não morri, eu sou 
a borboleta 
do vento, a flor 
incandescente destas águas. 

Homenagem a Federico García Lorca 
Albano Martins, in "Castália e Outros Poemas"



2 comentários:

Glória Müller disse...

Oi Sônia! Eu fico encantada com estes pensamentos que voam longe. Que bonito!!
Beijos e boa noite.
Glória

direitinho disse...

Quem lê e se alimenta de boa poesia tem forçosamente de a transmitir.
Bom Domingo

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.