.

.

12 março 2010

Utopia



Não é nada
é só poeira de sonho
de uma noite de outono

até esqueci
e deitei no vácuo
que ocupou meus ais

é só uma miragem
pintando a face
de um amor distraído
que tropeçou no silêncio
e amanheceu você...

Cláudia Gonçalves



12 comentários:

Glória Müller disse...

Ah Sônia... como não ocupar este espaço com tanta poesia? Só sendo mesmo muito distraída.
Beijos
Glória

Wanderley Elian Lima disse...

Olá
Simples e encantador poema.
Um ótimo fim de semana pra você
Um abraço

SAM disse...

Bom dia, Sonia!

Feliz em ver uma das poesias de Claudia Gonçalves no seu blog! Uma poeta excelente, com muito talento e sensibilidade.


Lindo fim de semana! Beijos.

Silvana Nunes .'. disse...

Bom dia, Sonia.
bela poesia. As fotos então, nem se fala. Belíssimas.
FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER... passando para desejar um bom final de semana.
Saudações Florestais !

Vitor Chuva disse...

Olá Sonia!

À força de tanto desejar quase conseguimos transformar o sonho em realidade!

Bom fim de semana.
Um abraço.
Vitor

Maysha disse...

Ola Sonia, bonito poema.
Bom fim de semana, beijo

Maria João disse...

Poemas sempre tão bonitos, ilustrados com excelentes fotos, numa partilha sempre tão prazerosa.

Obrigada Sónia!
Bom fim de semana.

Agulheta disse...

Sónia. Belo poema simples e muito bonito,obrigada pela partilha.As fotos sempre belas por aqui.
Beijinho bfs

ju rigoni disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
ju rigoni disse...

De como um nada pode ser tudo... Viva a poesia!

Poema e imagens deliciosos.

Bjs, Sonia, e inté!

Sônia Silvino disse...

Xará!
Vim visitar um dos mais lindos blogs que conheço!
Bjkas, muuuitas!
Bom domingo!

"Cantinho Poético" disse...

Olá Sonia!!
Tudo aqui é uma miragem...lindoo

Uma Domingo abençoado prá voce e os seus.....Beijossssssss

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.