.

.

09 maio 2010

Eu sei


Eu sei, tudo por acaso
Tudo por atraso
Mera distração
Eu sei, por impaciência
Por obediência
Pura intuição
Qualquer dia, qualquer hora
Tempo e dimensão
O futuro foi agora, tudo é invenção
E eu sei, pelo sentimento
Pelo envolvimento
Pelo coração
Eu sei, pela madrugada
Pela contramão
Por qualquer poesia
Por qualquer magia
Por qualquer razão.

Lenine



13 comentários:

tossan® disse...

Gostei mesmo das fotos. Lindas!
Água, sol...Vida azul. Beijo

Suelen Braga disse...

É sempre muito prazeroso p mim todas as vezes que te visito, grande parte da minha vida foi no mar, nas ilhas, no barco, nas aldeias de pescadores, estar aqui é sentir aquela nostalgia boa de um tempo bom...

Obrigada por me proporcionar esse prazer! Sinto-me em casa!

Beijão

Sônia Silvino disse...

Começar a semana vindo aqui é bom demaaaais!
Bjkas, muitas!

AROBOS disse...

La foto de la barca es bellísima, cargada de nostalgias.

direitinho disse...

Mais uma prenda que nos trouxe nesta madrugada.
Belíssimo poema musical

a magia da noite disse...

saber é importante

Juℓi Ribeiro disse...

Sonia:

E os ventos de sua ilha
continuam encantadores.
A magia, a delicadeza estão
sempre presentes aqui...
As suas fotos são espelhos refletindo seu talento e beleza.
Beijo.

ღPat.ღ disse...

Lenini é adorável.
Mas tuas fotos, minha amiga... são demais!!
Beijos e Boa semana.

Baby disse...

É bom saber, seja por acaso, por obediência, por intuição ou até pela melhor via, o coração, é bom saber que sempre aqui encontramos boa poesia e fotos a condizer...
Um abraço, com votos de boa semana.

Pelos caminhos da vida. disse...

Não é por acaso que volto aqui é porque gosto de vc e do seu espaço.


Vamos começar a semana assim:

Desejo a você...
Fruto do mato
Cheiro de jardim
Namoro no portão
Domingo sem chuva
Segunda sem mau humor
Sábado com seu amor
Filme do Carlitos
Chope com amigos
Crônica de Rubem Braga
Viver sem inimigos
Filme antigo na TV
Ter uma pessoa especial
E que ela goste de você
Música de Tom com letra de Chico
Frango caipira em pensão do interior
Ouvir uma palavra amável
Ter uma surpresa agradável
Ver a Banda passar
Noite de lua cheia
Rever uma velha amizade
Ter fé em Deus
Não ter que ouvir a palavra não
Nem nunca, nem jamais e adeus.
Rir como criança
Ouvir canto de passarinho
Sarar de resfriado
Escrever um poema de Amor
Que nunca será rasgado
Formar um par ideal
Tomar banho de cachoeira
Pegar um bronzeado legal
Aprender uma nova canção
Esperar alguém na estação
Queijo com goiabada
Pôr-do-Sol na roça
Uma festa
Um violão
Uma seresta
Recordar um amor antigo
Ter um ombro sempre amigo
Bater palmas
De alegria
Uma tarde amena
Calçar um velho chinelo
Sentar numa velha poltrona
Tocar violão para alguém
Ouvir a chuva no telhado
Vinho branco
Bolero de Ravel...
E muito carinho meu.

(Carlos Drummond de Andrade).

Adoro essa msg e gostaria de partilhar com vc amiga.

beijooo.

Vitor Chuva disse...

Olá Sonia!

Lindo e leve poema este, construido com engenho sobre um inspirado jogo de palavras ligadas pela argamassa de muito talento!

Um abraço.
Vitor

João Menéres disse...

Tens sempre coisas tão lindas para nós vermos e lermos!

Um beijo.

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Amiga.

Entre tantas palvras espalhadas por músicas sem sentido,
Lenine tem a magia
de dizer coisas simples
que nos tocam o coração.

Uma semana de sorrisos em tua vida.

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.