.

.

22 maio 2010

POEMA EM SEDE DE SOLIDÃO


Na penumbra da sala de visitas
o pensamento perscruta
a psicologia do instante,
as palavras declinam
a caligrafia das sílabas
e preenchem o vácuo da memória
quando o tempo deslinda
o enigma das horas.
Esta casa já me viu em instantes lúcidos
(carregando risos largos)
hoje me vê sonâmbulo
vadiando pelas veias da casa
( corredores e quartos),
caminhando como automato.
(Ah, esta saudade nunca se rende!)
Lá fora a noite sem lua
sombreia o velho alpendre
e engole ávida a rua.

Julio Rodrigues Correia




14 comentários:

direitinho disse...

...Lá fora a noite sem lua
sombreia o velho alpendre...

Poesia maravilhosa que nos faz sonhar nas sombras que carregam a noite dos pensamentos.

sam rock disse...

Hermosos espacios para disfrutar en la penumbra del paisaje apuntado al fondo.

Un abrazo y buen fin de semana

C@urosa disse...

Querida Sônia, sua imagens fotográficas são lindas, cinematográficas e nos trazem uma paz muito grande. Sempre bem acompanhas por belos, reflexivos e lindos poemas. Parabéns pela sensibilidade, sempre!

forte abraço

C@urosa

Sonhadora disse...

Sonia
Lindo este poema, como sempre boas escolhas.

beijinhos
Sonhadora

M@ria disse...

Hoje te ofereço uma flor!

Aceita esta flor como uma oração elevada
aos céus, carregando teu nome, pedindo
que a luz de todas as estrelas se derrame sobre a tua Vida.

Aceita esta flor como se um pássaro fosse,
levando em seu bico a verde folha da esperança,
a semente de brancos e puros lírios,
para que vivas em eterna Paz.

Feliz Sábado com aroma das flores...M@ria

SolBarreto disse...

Mas uma vez venho aqui e me encanto com o que leio e com o que vejo...
Sem lindos poemas que casam perfeitamente com as imagens...

Helena Castelli disse...

Quantos sentimentos guardados nas paredes...

Com carinho.
Helena

JK disse...

www.jk-cuatrodecopas.blogspot.com

un beso
juank.

REGGINA MOON disse...

Sônia,

O tempo passa, as coisas mudam...por vezes nos vemos sózinhos, em uma sala, repletos de recordações...e ter de conviver com essa saudade no coração....

Linda postagem!

Beijos,

Reggina Moon

Pelos caminhos da vida. disse...

AMIGOS E SEGUIDORES ESTOU NA FINAL
DA COPA BLOG REALIZADA PELO SITE
DO AMIGO DADO:

http://dado.pag.zip.net/

A VOTAÇÃO JÁ COMEÇOU HOJE E VAI ATÉ O DIA 30/05

É ATRÁVES DE COMENTÁRIOS TAMBÉM, NÃO
DEIXEM DE COLOCAREM SEUS E-MAILS, CASO
CONTRÁRIO O VOTO SERÁ ANULADO.


Clique aqui e Vote anamgs.blogspot- Ana

NO MEU BLOG ATRAVES DO MEU POST VC ENTRA DIRETO NA PÁGINA, OBRIGADA.

BEIJOOO.

Sônia Silvino disse...

Boa noite!!!
Adoro as tuas visitas!
Venha sempre!
Tenha um domingo maravilhoso!!!
"Há Momentos

Há momentos na vida em que sentimos tanto
a falta de alguém que o que mais queremos
é tirar esta pessoa de nossos sonhos
e abraçá-la.

Sonhe com aquilo que você quiser.
Seja o que você quer ser,
porque você possui apenas uma vida
e nela só se tem uma chance
de fazer aquilo que se quer.

Tenha felicidade bastante para fazê-la doce.
Dificuldades para fazê-la forte.
Tristeza para fazê-la humana.
E esperança suficiente para fazê-la feliz.

As pessoas mais felizes
não têm as melhores coisas.
Elas sabem fazer o melhor
das oportunidades que aparecem
em seus caminhos.

A felicidade aparece para aqueles que choram.
Para aqueles que se machucam.
Para aqueles que buscam e tentam sempre.
E para aqueles que reconhecem
a importância das pessoas que passam por suas vidas.

O futuro mais brilhante
é baseado num passado intensamente vivido.
Você só terá sucesso na vida
quando perdoar os erros
e as decepções do passado.

A vida é curta, mas as emoções que podemos deixar
duram uma eternidade.
A vida não é de se brincar
porque um belo dia se morre."

Bjkas, muuuitas!!!

Sônia Silvino's Blogs

tossan® disse...

Gosto muito desse tipo de poema com escrita do hoje e do sempre.
A foto do banco é sensacional! Beijo

J.Ferreira disse...

É sempre uma prazer visitar este cantinho. Boa escrita e óptimas imagens.
Grato.
Abraço do
JF

Richard Mathenhauer disse...

Um banco vazio é uma imagem bonita, mas evoca uma certa tristeza doce, de ausência, talvez.

Abraços fraternos,

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.