.

.

25 junho 2010

TRADUZIR-SE


Uma parte de mim
é todo mundo:
outra parte é ninguém:
fundo sem fundo.

uma parte de mim
é multidão:
outra parte estranheza
e solidão.

Uma parte de mim
pesa, pondera:
outra parte
delira.

Uma parte de mim
é permanente:
outra parte
se sabe de repente.

Uma parte de mim
é só vertigem:
outra parte,
linguagem.

Traduzir-se uma parte
na outra parte
- que é uma questão
de vida ou morte -
será arte?


Ferreira Gullar



14 comentários:

Rosani disse...

Querida Amiga Sônia

Que belo poema, parabéns pela escolha esse poeta é maravilhoso. Sabe penso ou melhor tenho quase certeza que os poetas são anjos disfarçados aqui na Terra...rsrs, voce é um deles tb querida.

beijos

tossan® disse...

Pondera, delira e fotografa delicadamente bem. Beijo

Priscila Lima disse...

as vezes é bom deixar algo sem tradução
o orinal é mais belo!
Abraço.

Luís Coelho disse...

Quantas partes são de mim e quantas vivem em mim...?
Poema muito filosófico.

Lu disse...

Belo Poema!

Tu blog estais bueno!


Amiga! abraços p/ te * nessa bela ilha de poesias e sonhos

Multiolhares disse...

A vida é isso mesmo uma dualidade, quando conseguimos nos polarizar no meio a fica fica mais leve
beijinhos

Richard Mathenhauer disse...

Beleza, os versos de Gular!

E suas fotos, me deixam a impressão de "um sem fim"...

Com admiração,

Sônia Silvino disse...

Boa noite, meu bem!!!
Venho para deixar uma beijoca carinhosa!
*************************************************
E este poema para você

"AMIGOS, ANJOS E FLORES

Assim são os amigos...
Assim são os amores...

De tanto esperar... De tanto vagar... De tanto chorar...

Hoje percebo que sozinha... Já não estou...
E hoje ao despertar nesta linda manhã...
Senti um gostoso aroma de flores...
Senti a presença dos anjos...

Novamente abro minha janela... Da alma e coração...
E por ela vejo meus amigos...
Que mesmo sendo do virtual...
Apoiaram-me nas horas de solidão...

Recebo sorrisos palavras de alento...
E cercada de anjos percebo que...
Sozinha eu nunca estarei...

Hoje mais do que nunca confio...
Na sabedoria extrema do Universo...
Onde anjos de luz me guiam...

Com toda a profundeza e nobreza...
Da dádiva divina que é o amor...

Eu tenho amigos poetas...
Tenho amigos e amigas aqueles das horas incertas em dias de batalhas, "brigas"...
Conto com amigos poetas!...
Eles vêem em tudo amor...
Não me aconselham, escutam são meus amigos...

E ao clamor! Estão comigo e labutam (trabalhar duro e com perseverança)...

Amigos poetas se calam...
Me ensinam com a poesia as palavras as vezes falham...

Harmonizam em melodia Na melodia poética dos versos e dos sentimentos...
Nem tudo segue estética e se refazem nos "lamentos"

Poetas escrevem das dores amores, da lua, do dia...
falam de estrelas, de flores encantam, trazem alegria... "

Desconheço a autoria.

*****************************************************

SÔNIA SILVINO'S BLOGS

VÁRIOS TEMAS & UM SÓ CORAÇÃO

****************************************************

Jaclo disse...

Buenos días, Sonia:
Muy bonito eso de ..."un poema de efecto mágico..."
Saludos.

Phivos Nicolaides disse...

Ola amiga! Lindo poema e fotos é maravilhoso. Bjs Viagens

Lígia Rosso disse...

Querida Sônia!!! Que saudades de ti...estou passando por aqui para te mandar um forte abraço e dizer do prazer que é sempre visitar teu blog. Andei distante do mundo virtual por um tempão pois estava sem computador. Mas, graças a Deus, agora está tudo bem novamente. Teu blog está divino, fotos lindíssimas demais. Minha mãe também é tua fã! Adoramos ver as fotos dos pássaros.Bj

Ivana Marisa Altafin disse...

Olá Sônia,

Estou feliz por estar aqui e ver tanta beleza em fotos, versos e sentimentos. Porque uma parte de mim é emoção e a outra também! Bjs

Mahria disse...

Eu adoro esse poema. Deixei ele um tempão no meu perfil no orkut, principalmente pela parte que acho bem parecido demais comigo:

"...uma parte de mim
é multidão:
outra parte estranheza
e solidão."

Bjs
Mah

Daniel Costa disse...

Sonia

Muito do interesse em ler muito, aprender está na muita diversidade de textos literários, como este belo poema de Ferreira Gullar que apresentas. De facto a diversidade é aliciante e estimulante. Gostei deveras.
Um abraço

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.