.

.

24 junho 2010

MOMENTOS


Deitado sobre um sentimento, 
que se demora no ficar 
e quando sai, sai lento 
qual vela livre sobre o mar, 
deixo-me embalar sonolento 
num doce deixar pensar. 

Roço o tronco nos lençóis 
aconchegando a pele, 
roço-me em canto de rouxinóis 
que me trazem sons de mel 
vindos do outro lado da janela 
e aguardo por algo que se revele... 
algo, que sempre se revela. 

Diz-me, se me lês, 
que te sentes assim 
quando não há porquês
nem suspiros de "enfim"...
diz-me, só esta vez,
que não há sentimento ruim,
nem um quase ou talvez,
quando nem o ar te separa de mim.

Valdevinoxis




11 comentários:

Ivana disse...

Oi Sõnia! Como sempre, lindas as fotos! Mas fiquei curiosa pra saber onde fica este barzinho flutuante?
Beijos!

Luís Coelho disse...

Bom dia

Mais uma escolha maravilhosa que nos enche a alma de sonhos dourados.

"Deitado sobre um sentimento,
que se demora no ficar
e quando sai, sai lento...."

Priscila Rôde disse...

"Diz-me, se me lês,
que te sentes assim
quando não há porquês
nem suspiros de "enfim"...
diz-me, só esta vez,
que não há sentimento ruim,
nem um quase ou talvez,
quando nem o ar te separa de mim."

Que lindo, Sonia!

SAM disse...

Belas fotos e um lindo poema, Sonia.

Beijos, com carinho.

Wanderley Elian Lima disse...

Lindo poema, não o conhecia, nem o autor.
Um abraço

Branca disse...

Que paisagem maravilhosa!
Bela escolha de poema.

TEnha um bom dia amiga!

Helena Castelli disse...

Bela poesia, bem escrita e inspirada... não conhecia o autor... grata por tê-lo postado...

Bjsss

João Menéres disse...

Cada dia, cada surpresa !

Um beijo, SONIA.

meninas poderosas disse...

oi sonia to te esperando aqui..

AROBOS disse...

Siempre es un placer visitarte. Música, imágenes, textos son una gozada.

Phivos Nicolaides disse...

Querida amiga Sonia ola! Seu Blog é maravilhoso. Estou a te seguir.
Gostaria de trocar links e adicioná-lo na minha lista do blog. O que você acha? Eu posso hospedar algumas das suas fotos, bem no meu blog de viagem.Abraços e muito obrigado. Felipe Viagens

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.