.

.

25 setembro 2010

Amor é Síntese


Por favor, não me analise
Não fique procurando cada ponto fraco meu.
Se ninguém resiste a uma análise profunda,
Quanto mais eu…
Ciumento, exigente, inseguro, carente
Todo cheio de marcas que a vida deixou
Vejo em cada grito de exigência
Um pedido de carência, um pedido de amor.

Amor é síntese
É uma integração de dados
Não há que tirar nem pôr
Não me corte em fatias
Ninguém consegue abraçar um pedaço
Me envolva todo em seus braços
E eu serei o perfeito amor.

 
Mario Quintana



12 comentários:

Priscila Rôde disse...

"Amor é síntese
É uma integração de dados
Não há que tirar nem pôr..."

Grande Quintana!

Um lindo domingo!

in natura disse...

Mário Quintana ia adorar estas fotos tanto quanto eu. São lindas. Beijuss

Cintia disse...

Sadades amiga Sonia.
Estou de volta.
Beijos e boa semana pra você.

Xana disse...

que linda escolha com fotos magnificas, já estava com saudades deste cantinho :D

sam rock disse...

Que siempre la envuelvan toda en los brazos de quien la ama.

Un abrazo

Gislene disse...

Lindo blog!
Te sigo!
Abraço.

ju rigoni disse...

Fotos lindas e essa jóia preciosa de Mario Quintana...

Soninha, tenho visitado muito vagarosamente os amigos porque fui "premiada" com uma pneumonia da qual ainda estou me recuperando. Espero voltar logo à frequência de antes.

Bjs, boa semana. Inté!

Ana Maria disse...

Linda escolha de poema.
As fotos são belas!
Beijinhos querida amiga!

SolBarreto disse...

Lindo texto!
Como sempre imagens maravilhosas!

AROBOS disse...

Magnífico poema, leido bajo la luz de esas hermosas imágenes. Saludos.

bicocacolors disse...

how much i loooove those pictures!!!
greetings from Spain

sam rock disse...

Buen fin de semana, Sonia.

Un abrazo

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.