.

.

25 janeiro 2011

Pedaços de Mim


Te ofereci pedaços de mim
você recolheu e transformou em buquê,
te dei sorrisos tristes
você aceitou e transformou em poemas,
te dei joelhos trôpegos
você aceitou e transformou em estrada,
te dei mãos cansadas
você aceitou e transformou em abraços,
te dei beijos desacreditados
você aceitou e transformou em desejos,
te dei receios de sentir
você aceitou e transformou em amor.
Eliana Malpighi



7 comentários:

Luís Coelho disse...

Simplesmente maravilhoso este amor que tudo transforma em vida com graça e sabor.

Esta manhã senti necessidade de beber um pouco desta poesia.

Agulheta disse...

Tudo na vida se transforma se quisermos,assim diz o poema belíssimo e não conhecia,obrigada pela partilha...que adorei.
Beijinho de amizade Sónia

Sotnas disse...

Olá Sônia, desejo que tudo esteja bem contigo!
Sempre que venho sentir este vento na sua ilha me refestelo na suave e constante brisa de belos poemas aqui postados. Este de Eliana Malpighi é deveras belo, com simplicidade e sentimentos expressa as transformações que somente o amor é capaz, quando ele transita dos dois lados, pode transformar o mundo!
Parabéns pelo seu belo espaço de Belas imagens e ótimos poemas!
Desejo a você e todos ao redor iluminada e feliz existência sempre, obrigado pelas visitas e comentários grande abraço e até mais!

Mar Arável disse...

O amor faz milagres

Luísa disse...

É tudo tão delicadamente belo nesta ilha!
Beijinhos mil, com saudades!

Malu disse...

Ofereceu pedaços e acabou por dar-se inteira...
Lindo!!!
Abraços, Sônia

Graça Pereira disse...

Um poema lindo...um amor junto ao mar
e embalados por esta música, os sorrisos tristes transformam-se m poesia.
beijo e bom fds
Graça

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.