.

.

12 março 2011

Procura-se


A aurora desperta pelo azul do mar,
A quietude outonal que rasga o dia,
a vida que ressurge rara após noite escura.
Procura-se
a esperança que saiu voando sem rumo,
uma alma alada como pássaro,
que desapareceu entre o céu e o mar.
Procura-se
sonhos pássaros perdidos na névoa tardia,
ventos leves, leves como o pensamento.
Procura-se
uma chance, uma sorte, uma nova saída,
uma ilha, um pouco de paisagem,
um verso capaz de descrever o instante.


Sônia Schmorantz

Trapiche em Gov. Celso Ramos
Lagoa da Conceição

20 comentários:

Amor feito Poesia disse...

Que minha simplicidade,
deixe o rastro
da luxúria de minha alma.
O mais,é nada.

Patty Vicensotti

Beijos poéticos e perfumados...M@ria

Maria disse...

Lindissimo poema e lindissimas fotos. Todos procuramos um novo amanhecer, uma nova oportunidade, um novo começar.
Boa semana
beijinhos
Maria

tossan® disse...

Sintonia perfeita foto, ilha, vento e muita poesia. Lindíssimo! Vamos sentir tudo isso bem de perto...rsrsr..Beijo

epee disse...

Procura-se... até achar. Afinal, o mistério consiste em saber o que se procurar... Encontrar, é só um detalhe! Que pode ou não, acontecer.

¬
Boa semana.

Maria Helena Mueller - Lelê disse...

Linda Sônia! O que dizer para uma pessoa que escreve Poemas que encantam minha alma! OBRIGADA!!! Sei que é pouco, mas não consigo colocar em palavras o que está no coração e o encanto que sinto ao ler teus poemas e ver as lindas fotos!
Feliz Semana!
Bjs com carinho e admiração, Lelê.

E.R. disse...

Ainda há de encontrar...!
Belo o teu poema Sônia,
e a ilha sempre maravilhosa.




Beijos.

AFRICA EM POESIA disse...

Sonia
Vim deixar um beijo para ti e EDUARDO
Na Natureza o Homem nada pode fazer


Neste momento quero expressar aqui a minha solidariedade a todas as Famílias atingidas pelo tsunami de ontém.ONDA DEVASTADORA


Onda devastadora, cheia de beleza
Que rapidamente se transformou...
E destruiu tudo por onde passou...

Correu com loucura pela praia...
Saltou montes e vales...
Tudo levou e tudo varreu...

Onda sem compaixão...
Que entre os seus longos braços...
Tudo levou, pais, mães e filhos...

Sem piedade levou o amor da família...
Levou também o trabalho da terra...
E deixou, apenas a dor...

Dor de quem ficou e de quem tudo perdeu...
E tu onda devastadora...
Soltaste os teu braços...
E calmamente te foste!...

LILI LARANJO

Isabel disse...

Thank you for your visit.........I specially like the last one of the 6, splendid b&w!

Ricardo Calmon disse...

OI SONIA,QUANTO TEMPO PASOU,ALEGRIA TODA EM TE-LA EM CAMPOS MEUS DE GIRASSOIS,OBRIGADO POR SOLIDARIEDADE E TERNURA TUA.
HANA É UMA AMIGA ANTIGA,MESTRADO CONCURSANDO NO JPÃO E LECIONANDO.
NARA (HANA) É SOCIÓLOGA.
ABRAÇOS NO MARIDÃO

VIVA LA VIE

SALUEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE

ju rigoni disse...

Sonia, o poema é belíssimo.

"Procura-se
uma chance, uma sorte, uma nova saída,
uma ilha, um pouco de paisagem,
um verso capaz de descrever o instante."

Eu amei esses versos.

Bjs, poeta. Inte!

Antonio Campos disse...

Sonia gaucha que sonhou com uma ilha. E com certeza vive um sonho que não vai acabar jamais. Sabes que nosso mundo está em nossas mentes portanto Deus realizou teu sonho e tu o renovas a cada amanhecer. Numa ilha sem bruxas e onde você com seu condão escreve linhas como as que eu acabei de ler. Grande abraço desse velho gaúcho em você no Eduardo e em todos que sentem a presença dessa fada da paz do amor da luz.

ETERNA APAIXONADA disse...

Seus versos fazem sonhar! Lindo!!!
Não podia deixar de vir para um abraço especial pela data, Sônia!
Parabéns pelo dia nacional da poesia!
Tenha uma linda semana!
Beijos

Sotnas disse...

Olá Sônia, desejo que tudo esteja bem contigo!
Passamos a vida inteira á procura, e a cada novo dia encontramos; Encontramos renovada vontade de continuar a procura, que sabemos deve ser incansável!
Deveras agradável por cá estar, onde se lê belíssimos textos, e admiramos lindas imagens por ti postadas, parabéns pelo aconchegante cantinho!
Desejo a você e todos ao redor infinita felicidade, obrigado pelas carinhosas visitas e comentários, abraços e até mais!

Graça Pereira disse...

Procura-se...sempre até que a angústia termine e tudo volte a florir de novo.
As fotos estão cada vez mais bonitas.O Layout fabuloso!
Beijo amigo
Graça

Perola disse...

Oi amada,voltei com um novo blog,apesar de ñ nos visitar com tanta frequencia tenho uma grande admiração por ti.
O meu blog antigo foi denunciado.
Beijos amada.

Daniel Costa disse...

Sônia

O teu poema é muito feliz, gostei do talento demonstrado, As ilustrações também são muito a propósito.
De novo tive o prazer de passar.
Abraços

Perola disse...

Oi amada,essas buscas ñ param nunca,acredito ser necesária para prosseguirmos a nossa caminhada.
Gostei muito.
Obrigado pelo seu carinho no meu cantinho.
Beijo grande.

BLOG DO PROFEX disse...

...Alô amigos do Blog do Profex, eu, Rafael Braga, havia dito que sortearia 3 comentaristas do blog, mas gostei tanto da promoção que resolvi sortear 8(oito) pessoas!
Obrigado pela participação, esperem que curtam o meu cd!

Eis os ganhadores:

-Sonia Schmorantz
-Kelly Christi
-Graça
-Príncipe Encantado
-Bia Jubiart
-Nadia Lis
-Danielle Dellavecchia
e Taís Luso.

Enviem um e-mail para o profex: professorexpedito.radialista@hotmail.com, informando o endereço para que eu envie, via Sedex, 2 cds para cada um dos contemplados. Bjs a todos.
Rafael Braga.

Grande Abraço!

Nilson Barcelli disse...

Belíssimo poema, gostei muito das tuas palavras.
Beijos.

momo disse...

lindo lindo lindo....me encantan tus poemas .
un abrazo

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.