.

.

07 julho 2011

Marés de Inverno


O  inverno trouxe de volta
o pouso de brancas gaivotas.
Voando reunidas,
como bando de náufragos,
recurvam-se ao sol na rota entre céu e mar,
pairando com graça sobre a vida.
Asas inquietas como sonhos ao vento,
são vertentes de poesia
num impulso sobre o mar.
Infinito poema de amor,
palavras/asas seduzidas pelo vento,
unidas no vagar da vida,
como um grito de gaivota...

Sônia Schmorantz


Gaivotas na Praia dos Ingleses

15 comentários:

Luís Coelho disse...

Lindíssimo este seu poema Sónia.
As gaivotas de asas abertas ao vento e o mar que se desdobra num perder de vista.

A vida é sempre assim e nós temos de a cuidar o melhor que pudermos.

Eduardo Aleixo disse...

É lindo o seu poema. Lindas as imagens das gaivotas e do mar. Sugestivos os versos das asas das gaivotas inquietas que sobre as águas do mar nos aquietam!. Bom fim de semana.

Sotnas disse...

Olá Sônia, desejo que tudo esteja bem contigo!

Belo poema como sempre tem postado por aqui. Gostei do comparativo, sobre a inquietude das palavras e das asas das gaivotas, é deveras de muita sensibilidade este teu belo escrito, e de muita expressão dos sentimentos teus. Belas também são as tuas imagens aqui postadas além da trilha que embalou minha visita, parabéns pelo belo e agradável espaço!
Agradecido pela amizade e visitas desejo a você e todos ao redor intensa felicidade abraços e até mais!

Ana Martins disse...

Que bonito Sónia!

Beijinho,
Ana Martins

Amor feito Poesia disse...

"Quando fala o amor, a voz de todos os deuses deixa o céu embriagado de harmonia."

Willian Shakespeare


BOM FDS...Beijos & Flores! M@ria

momo disse...

Gosto inmenso de venir a esta ilha ainda que pase tiempo sin verla....gosto de venir a sonhar a sentir saudade en verano y tambem en invierno...Un abrazo muy grande amiga poeta y maga.

Vitor Chuva disse...

Olá, Sonia!

As graciosas gaivotas voltaram a esta ilha e com elas trouxeram a inspiração e o mote para este lindo poema.Parabéns pela simplicidade e beleza nele contidos!

Abraço amigo, e bom fim de semana.
Vitor
http://vitorchuvashortstories.wordpress.com/

Maria disse...

Um poema lindissimo com cheirinho a mar.
Bom fim de semana.
Beijinhos
Maria

tossan® disse...

Que coisa linda Sônia! Poesia nas veias! Adorei as fotos. Beijo

EDUARDO POISL disse...

Lindo poema, as fotos estão maravilhosas.
Beijos te amo Sônia

Constantino, Guardador de Vacas disse...

Um post muito bonito com um lindo poema e três belas fotos.

Graça Pereira disse...

Andamos tambem ás voltas...como as gaivotas!! Quantas vezes?
Saberemos nós pairar entre o céu e o mar e encontrar o sonho da nossa vida? Belissimo poema, Soninha, dos mais bonitos.
E esta música...que nos torna unidas...no vagar da vida!
Beijo
Graça

in natura disse...

Lindissimo Sônia, fotos e poema magistrais! Postei um seu lá no in natura. Saudade não da gripe, mas de vocês. Beijus

rosa-branca disse...

Olá Sónia, já não passava aqui à algum tempo e como tal estive a ver as fotos atrasadas. Simplesmente maravilhosas como sempre. Beijos com carinho

momo disse...

Un abrazo inmenso amiga...me llevo tus gaivotas para que me acompañen...beijos poeta.

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.