.

.

31 agosto 2011

Vento



O vento passa nas tardes mornas,
Sinto seu abraço,
Sinto que vive e canta dentro de mim.
Sinto o sopro do vento, o cheiro do mar,
O ilimitado do céu vazio,
Ar que penetra suave e reascende uma
Chama cósmica em meu coração.
Abençoada seja esta natureza silenciosa.
Há uma parte de mim que se ausenta
E parte com o vento,
Todos os dias um pouco,
Enquanto o poente no céu se estende
Numa saborosa melancolia...
Mas agora volto.
Volto à minha vida,
Hora de seguir caminho,
Natureza e vida ainda sorriem para mim...

Sônia Schmorantz





6 comentários:

Tatiana Moreira disse...

Que os bons ventos tragam para o seu dia os melhores sorrisos!
Um abraço carinhoso

vitorchuvashortstories disse...

Olá, Sonia!

Muito bonito este poema dedicado ao vento amigo, que faz companhia; e que termina com um tom optimista, uma nota de esperança.

Um abraço amigo; tudo de bom!
Vitor

Eloah disse...

Os ventos nos trouxeram um lindo sol que engalanou a nossa ilha.Escrevestes sobre o vento lindamente.As fotos perfeitas, como sempre.Forte abraço e um inicio de setembro com esperanças renovadas.Bjs no coração Eloah

tossan® disse...

A foto é linda, mas o poema é formidável, me envolve e transmito a minha amada. Beijo moça

Maria disse...

Gosto de sentir o vento e adoro ouvir o seu som, quando estou no aconchego da minha casa. Lindas fotos e poema.
Bom fim de semana.
Beijinhos
Maria

Ana Martins disse...

Bonito Sónia, parabéns!

Beijinho,
Ana Martins

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.