.

.

04 setembro 2011

A Viagem



A viagem não acaba nunca.
Só os viajantes acabam.
E mesmo estes podem prolongar-se em memória,
em lembrança, em narrativa.
Quando o visitante sentou na areia da praia e disse:
“Não há mais o que ver”, saiba que não era assim.
O fim de uma viagem é apenas o começo de outra.
É preciso ver o que não foi visto,
ver outra vez o que se viu já,
ver na primavera o que se vira no verão,
ver de dia o que se viu de noite,
com o sol onde primeiramente a chuva caía,
ver a seara verde, o fruto maduro,
a pedra que mudou de lugar,
a sombra que aqui não estava.
É preciso voltar aos passos que foram dados,
para repetir e para traçar caminhos novos ao lado deles.
É preciso recomeçar a viagem.
Sempre.

José Saramago


Da janela, as imagens do entardecer

10 comentários:

Sotnas disse...

Olá Sônia, desejo que tudo esteja bem contigo!

A vida se transforma a cada momento vivido, portanto o ontem não mais se repetirá, a não ser tão somente em nossa memória!

Belo texto e imagens, e também gostei deveras da tradução da música de Aznavour, um belo poema de lembranças!
E por cá sempre postando belos poemas e tuas belíssimas imagens os acompanhado e, como de outras vezes, embalados por belas canções!

E eu grato por tuas visitas e comentários desejo a você e todos ao redor um intenso e feliz viver, grande abraço e até mais!

ARO disse...

Saramago, un maestro de la palabra; tú una maestra de la fotografía. Saludos.

Lusa Vilar disse...

Olá, Sônia, teu blog está deslumbrante. Enche-nos as vistas e o coração. Parabéns, pelas escolhas. Um abraço.

Eloah disse...

Saramago lindíssimo! Bela escolha! As fotos como sempre maravilhosas.Lindo entardecer e a beleza captada por olhos sensíveis de artista.Parabéns amiga.Agora chove e a alma se recolhe, mas logo o sol virá para encantar.Adorei a trilha sonora. Bjs no coração Eloah

sinfonia do vento disse...

Olha menina, estou aqui asssim óóó...
ma ra vi lha da!
Lendo vc ,viajei até a minh'alma um pouco empoeirada e fiquei em transe.
Copiei muitas poesias, quase todas, para formatar e publicar em meu simples orkut que vc qd puder pode fazer uma visitinha.
sinfoniadovento@gmail.com
Com muito carinho, admiração e imensa ternura por ti.
Abraço forte e abençoado.

Baby disse...

Saramago foi um viajante perfeito, e ao lado dele, (com os livros dele)nós conhecemos o mundo e os homens.

As fotos de uma beleza sensível, emolduram as suas palavras.

Beijos.

BRANCAMAR disse...

Sónia,

As imagens são magníficas, mas o poema escolhido também. Tu me fizeste gostar mais de José Saramago. Não conhecia este poema e fiquei deslumbrada, pois tem muito a ver com a minha filosofia de vida. Tudo é diferente em momentos diferentes e não tem só a ver com a manhã, a tarde, a noite, o dia, a luz ou a estação do ano, tem a ver também com o nosso estado de espírito, a forma como vês naquele momento, que pode ser diferente noutro.

Muito lindo!
Beijos

Graça Pereira disse...

É preciso recomeçar a viagem...Sempre! Saramago tinha razão! Há sempre uma nova luz sobre tudo o que já se viu...Por isso, eu faço sempre esta viagem do outro lado do oceano até aqui...para reviver, sempre!
Beijo amigo.
Graça

R.Ferrari disse...

Belissimo visual.

Martha Helena disse...

Só passando para te parabenizar pelo belo post e pelo teu blog. Viajo sempre por aqui, mas agora resolvi parar um instante para te contar...mil beijos

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.