.

.

25 dezembro 2011

Tuas palavras


Tuas palavras nascem como flores
Vão se esparramando
Criando raízes
Penetrando meu solo
Margaridas
Dálias
Rosas perfumadas
Me enfeitam
Me enlaçam com fitas multicores
Me fazem carícias com a ponta dos dedos
Tuas palavras me transbordam de amor.

Lou Witt


Imagens 1: Lagoa da Conceição; 2 e 3: do Costão do Santinho

4 comentários:

Luís Coelho disse...

Felizes aqueles que vivem e sentem o amor das palavras com esta intensidade. Assim as palavras alimentam e acariciam.

As fotos continuam mostrando a grande beleza dessas paragens.

Desejo para todos vós um bom Ano de 2012 - saúde e muita harmonia com amor e alegria.

O Profeta disse...

Tão calmamente corre esta viagem
A terra anda devido ao amor
O que é isso de amar com amor?
O que é isso de o perder sem dor?

O que é isso de acreditar
Às vezes Deus carrega ao colo um justo
Às vezes uma reza acende o Sol a meio da noite
Às vezes duvido acreditando a custo

Abracei o mundo este natal
Lembrei passados desvanecidos
Senti aromas que pensei perdidos
Senti que a vida me infligiu mil castigos

Senti que a solidão era a porta para a razão
Que era uma criatura sem grande importância
Senti que ainda não tinha traçado todos os rumos
Que não há longe perto da distância

Ana Maria disse...

Fiquei muito contente com sua visita e suas palavras. Apenas vc me visitou. Obrigada por tudo e continuamos sempre juntas na paz de Deus!
Beijinhos iluminados!

Nanda Assis disse...

.
00000000_00000000_000_____000_00000000
000______000______000_____000_____000
000______000______000_____000____000
00000____00000____000_____000___000
000______000______000_____000__000
000______000______000_____000_000
000______00000000_0000000_000_00000000

_000000_____00000_______000____000000
00____00___0000000_____0000___00____00
0_____00__00_____00___00_00___0_____00
_____00___00_____00______00________00
____00____00_____00______00_______00
___00_____00_____00______00______00
__00______00_____00______00_____00
00000000___0000000_______00___000000000

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.