.

.

04 janeiro 2012

HOJE


Hoje sou este azul,
sou entardecer, silêncio e magia,
sou do mar a imensidão,
sou da brisa a serenidade,
sou perfume, sou pecado,
sou vida e paixão,
sou luz de luar beijando o mar...

Hoje sou esta natureza,
sou vento que desenha nuvens,
sou a noite e seus pássaros,
voando nas asas do vento...
Sou mulher cheirando a flor,
alguém a quem chamam de poeta,
mas sei que poetisa não sou,
sou mulher desta  natureza,
meus versos são apenas sentimentos
que dançam nas ondas do mar...

Sônia Schmorantz



7 comentários:

Luís Coelho disse...

Lindo o seu poema
Nele sonhamos e voamos ao encontro na brisa do mar.
Tinha saudades de a ler e sentir tão bela poesia.

Baby disse...

Então és uma pessoa única, que alberga toda a beleza do mundo!
Lindo o teu poema, é um hino de louvor à vida.
Beijos.

Dois Rios disse...

Ainda que com um pouco de atraso, agradeço os votos de Boas Festas. Desejo, também, a você e a sua família um ano promissor, generoso, sereno e benevolente.

Beijo,
Inês

Julliany kotona disse...

Jogue seus sonhos aos ventos...Eles voltaram para você em forma de realidade!Tenha uma linda noite de sabado e um ótimo domingo bjos de uma amiga!

Eloah disse...

Querida só quem tem a delicadeza no olhar e a plenitude da beleza no coração para em palavras partilhar, como você, merece o título de poetiza.Parabéns pela sensibilidade.Bjs. Eloah

Lusa Vilar disse...

De certo que é uma poetisa, e esse poema não é seu? É lindo, maravilhoso! Seu blog por si só cheira a poesia e encantamento, suas fotos nos inspiram; são convites para amar a vida e a natureza, e, principalmente, ao seu Criador. Obrigada pelas suas postagens, elas me fazem um bem enorme. Fica com Deus!

Um Cantinho para Sonhar disse...

Vim conhecer essa Ilha de Sonhos, esse vento que voa soprando poesia...!
Adorei e sigo-te com muito carinho.

Suzy

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.