.

.

22 novembro 2012

E se um dia



E se um dia puder

Espalhar-me pelo mar
Fundir-me no tempo
Ou soltar-me no ar
Deixarei de ser homem
Serei finalmente
Somente memória
Um sopro de sal
Que o vento carrega
Num segundo de história.

Manuel F. C. Almeida



2 comentários:

:.tossan® disse...

Poema que eu gosto, o ritmo que eu quero. As fotos que procuro e você sabe disso. Beijo

Sotnas disse...

Olá Sônia, e que tudo esteja bem contigo!


Como de outras vezes que por cá venho, não seria diferente desta, se encontro por cá sempre o teu bom gosto nas escolhas, tanto dos escritos quanto das belíssimas imagens que aqui compartilha com os amigos, obrigado!

E agradeço também pelas gentis visitas, assim desejo que tenha um viver de intensa felicidade, grande abraço e até mais!

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.