.

.

14 julho 2013

Chuva


(...)
A chuva chove ligeira,
Nos nossos olhos e molha.
O vento venta ventado,
Nos vidros que se embalançam,
Nas plantas que se desdobram.
Chove nas praias desertas,
Chove no mar que está cinza,
Chove no asfalto negro,
Chove nos corações.
Chove em cada alma,
Em cada refúgio chove;
E quando olhaste em mim,
Com os olhos que me seguiam,
Enquanto a chuva caía
No meu coração chovia
A chuva do teu olhar.

Ana Cristina César


Ana Cristina César

4 comentários:

Cidália Ferreira disse...

Que bonito.Bom dia...
Tenha uma boa semana

beijo
http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Ricardo- águialivre disse...

Bom dia

Apenas uma palavra: MARAVILHOSO

Deixo abraço
**********************
Querendo...visitem-me

http://pensamentosedevaneiosdoaguialivre.blogspot.pt/

Ritinha disse...

Bom dia!!
Excelente semana!
Coisas que os olhos veem, a alma sente e vc descreve em palavras.
Gostei!
bjs
Ritinha

Sotnas disse...

Olá Sônia, e que tudo esteja bem!

E como sempre, cá estou novamente com intenso prazer lendo, e admirando também as lindas imagens que sempre compartilha com os amigos. Parabéns por mais este belo escrito, e por todas as lindas imagens!
Agradeço também as tuas gentis visitas e comentários e a tua amizade, assim desejo que tenha sempre em teu viver esta intensa felicidade, um grande abraço e, até mais!

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.