.

.

22 agosto 2013

Às vezes...


Às vezes, quando um pássaro chama
ou entre os ramos algum vento sopra
ou nalgum pátio longe ladra um cão,
por longo tempo eu escuto e me calo.

Minha alma voa para o passado,
para onde, há mil esquecidos anos,
o pássaro e o vento que soprava
mais pareciam meus irmãos e eu.

Minha alma faz-se uma árvore,
um animal, um tecido de nuvens...
Transfigurada e estranha, volta a mim
e me interroga. Que resposta lhe darei?

Hermann Hesse


3 comentários:

Ricardo- águialivre disse...

Bom dia

Porventura não tenham respopsta os sonhos de vida
Talvez apenas mereçam um...sorriso.

Fique feliz
*************************
Gostava que me visitasse(m)

http://pensamentosedevaneiosdoaguialivre.blogspot.pt/

Cidália Ferreira disse...

Bom dia
Gostei de ler...Parabéns

beijos
http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Ritinha disse...

Bom dia...
Esse passado e essa saudade que nos fazem viajar no tempo...
Lindo demais!
Emocionante, viu?!
bjs
Ritinha

Quem sou eu

Minha foto
Gaúcha, nos pampas nascida Um grande sonho acalentei Morar numa ilha encantada Cheia de bruxas e fadas. Nessa terra cheia de graça Onde se juntam todas as raças, Minha ilha lança ao poente O azul espelhado da lagoa, O verde silêncio das montanhas, O rumorejar de um mar azul Que beija apaixonado a areia da Minha ilha de renda poética. Não importa se há sol ou chuva, A mágica ilha é sempre azul, Fica gravada na alma e Quem aqui vem sempre vai voltar, Para descobrir novos caminhos, Novos destinos, pois Esta magia nunca irá acabar.

.

.